Mecca Verdell, uma poetisa e professora negra, fica radiante ao observar as imagens que anunciam a mais nova campanha do Visit Baltimore surgindo em um quiosque a poucos passos de Inner Harbor. Uma imagem mostra um aplicativo de turismo que faz parte do esforço – e ela criou seu nome, BoP Pass.

O grupo de turismo está contando com Mecca e outros artistas e influenciadores locais – a maioria deles negros – para ajudar a atrair visitantes para a cidade por meio de uma campanha de US$ 800 mil que mostra seus rostos e seu trabalho em toda a região. “O coração de Baltimore são as pessoas que vivem nela. Basicamente, conhecemos os meandros desta cidade melhor do que ninguém”, considera a poetisa.

“A comunidade criativa em Baltimore é muito vibrante. Os criativos em Baltimore são realmente os contadores de histórias, os formadores de opinião e os impulsionadores da cultura que criam a essência, a vibração, a cultura de nossa cidade”, afirma Sarah Schaffer, diretora de marketing da Visit Baltimore.

Atrair mais turistas seria uma boa notícia para o setor, que gerou 86 mil empregos e um impacto econômico estimado de US$ 6 bilhões na cidade em 2019, mas enfrenta “desafios e incertezas” devido à pandemia de Covid-19, de acordo com o relatório anual do Visit Baltimore.

Publicidade

Com a população negra de Baltimore de mais de 60%, é hora de os membros desse grupo demográfico promoverem sua cidade natal, dizem os artistas e especialistas em marketing. O esforço é raro no país e contraria uma percepção contaminada da cidade, entendem defensores e especialistas. E se funcionar – há sinais iniciais promissores – a campanha pode ser um primeiro passo na recuperação do impacto da pandemia para o turismo local.

Números

Visit Baltimore relata que as viagens de um dia para a cidade aumentaram quase 16%, de 23,3 milhões em 2012 para 27 milhões em 2019, enquanto as viagens com pernoite permaneceram estáveis, cerca de 10,6 milhões por ano, de 2016 a 2019. Para comparação, Visit Philadelphia viu o número total os visitantes domésticos em sua região metropolitana crescer quase 15% de 2012 a 2019.

Embora este ano possa ser um caso isolado por causa das restrições impostas pelo coronavírus, Sarah Schaffer comenta que está vendo uma “demanda reprimida” para viagens locais de um dia e visitas rápidas durante a noite de quem viaja de carro.

(Com informações de Baltimore Sun)

Publicidade