A Federal Trade Commission relata que os golpistas estão aproveitando os medos em torno do coronavírus, inclusive através da venda de produtos falsificados e da solicitação de dinheiro e informações pessoais. Diante disso, o secretário de Estado de Maryland, John C. Wobensmith, e o procurador geral do estado, Brian E. Frosh, advertem os moradores a serem vigilantes e a doarem sabiamente.

Quando instituições de caridade solicitam doações em resposta à pandemia, a comunidade pode sentir-se obrigada a doar, em um esforço para ajudar seus vizinhos, mas é preciso cautela.

“Em tempos de incerteza, os vigaristas aproveitam sua generosidade e criam fraudes, golpes ou atos fraudulentos para encher seus bolsos”, alerta o secretário Wobensmith. “Certifique-se de saber a quem você está dando e lembre-se de que é sempre melhor doar diretamente para organizações de caridade bem estabelecidas e respeitáveis”, completa.

O Gabinete do Secretário de Estado registra e regula organizações de caridade que solicitam contribuições em Maryland. Juntamente com a Procuradoria Geral, a secretaria trabalha para garantir que as doações sejam direcionadas a organizações beneficentes qualificadas e sejam usadas para os fins a que se destinam.

Publicidade

“Os fraudadores aproveitarão quase todas as oportunidades para roubar o dinheiro de outras pessoas”, afirma Frosh. “Os consumidores podem evitar ser enganados ao entender como os ladrões estão tentando roubar suas informações pessoais e dinheiro. É sempre aconselhável pesquisar primeiro a instituição de caridade antes de doar e evitar qualquer instituição de caridade ou angariação de fundos que relute em fornecer informações sobre como as doações são usadas”, recomenda o procurador geral.

Consulta

Para obter mais dicas sobre como doar sabiamente, os cidadãos podem acessar aqui uma publicação feita pela Procuradoria Geral de Maryland com orientações. Também é possível conferir pela internet o registro público de organizações de caridade autorizadas a captar doações em Maryland.

Se você acha que foi vítima de uma solicitação de ajuda enganosa ou ilegal, entre em contato com a Divisão de Caridade e Serviços Jurídicos da Secretaria de Estado: 410-974-5521 ou 1-800-825-4510.

Publicidade