Uma festa de bairro realizada no sudeste de DC terminou em tiroteio na madrugada desse domingo (9), matando um jovem de 17 anos e deixando outras 20 pessoas feridas. A polícia ainda procura os responsáveis pelos disparos, que ocorreram por volta de 0h30, perto do bloco 3.300 de Dubois Place, na Ala 7.

O chefe de polícia de DC, Peter Newsham, informou que entre os feridos há 11 mulheres. Uma dessas vítimas é uma policial do 1º Distrito que estava de folga. Ela permanece hospitalizada.

Segundo Newsham, a investigação aponta para a ação de vários atiradores. Christopher Brown, de 17 anos, morreu em cena. O jovem deixa um filho de um ano e outro está a caminho.

Mais de 20 unidades de resposta chegaram ao local, incluindo paramédicos, ambulâncias e supervisores de emergência. Até a manhã desta segunda-feira (10) nenhuma prisão havia sido feita, nem houve a divulgação de detalhes adicionais sobre o caso.

Festas estão proibidas

As diretrizes atuais em relação à Covid-19 no Distrito proíbem que mais de 50 pessoas se reúnam ao mesmo tempo. Entretanto, segundo testemunhas, centenas de pessoas estavam no churrasco que acontecia na rua residencial.

Publicidade

Newsham confirmou a informação e disse que havia policiais no local, porém, aparentemente não o suficiente para interromper a festa. “Não podemos tolerar esse tipo de reunião em nossa cidade durante a pandemia, é muito perigoso, Mas não havia policiais suficientes para mover uma multidão desse tamanho “, declarou.

“Não vou culpar a polícia por permitir que isso aconteça. Eu culpo os indivíduos que tomaram a decisão de ter uma atividade além da diretriz da prefeita (Muriel Bowser) em relação ao distanciamento social e meio de conter a transmissão do coronavírus. A polícia não pode fazer mais do que isso”, diz a comissária consultiva de bairro Patricia Howard-Chittams.

“Parecia que havia centenas de pessoas aqui, literalmente apenas dando uma festa, ninguém pensando em corona e ninguém pensando em atividades que poderiam custar mais a eles do que apenas se divertir, porque corona mata”, enfatiza.

(Com informações de WUSA)

Publicidade