O número de casos confirmados de coronavírus em todo o mundo já passou de 100 mil. E vigaristas não estão perdendo tempo, se aproveitando do medo das pessoas para aplicar golpes. Receitas milagrosas são anunciadas na internet, prometendo prevenções e curas. Além disso, fake news são propagadas através da rede.

Apenas alguns cliques e você está nadando em reivindicações infundadas de coronavírus. Um post, compartilhado 16 mil vezes, recomenda evitar bebidas frias e alimentos apimentados.

Os suplementos se multiplicam, declarando resultados “comprovados”. Uma terapia com óleo de orégano é anunciada como um antivírus e até mesmo um óleo de coronavírus – vendido por uma mulher que diz ser da realeza francesa – promete “ingredientes antigos” que protegeriam as pessoas da praga.

A Amazon informa que recentemente retirou mais de um milhão de produtos com alegações suspeitas ou enganosas sobre o coronavírus. Facebook, Instagram e Twitter … milhões a mais. E tão rápido quanto eles caem, mais aparecem.

Publicidade
Curso Design de Cobrancelhas

Sem aprovação

É importante que essas empresas estejam policiando os produtos, porque a Food and Drug Administration (FDA) não está. Os suplementos não passam por testes de segurança ou eficácia antes de serem colocados no mercado. Sem uma agência federal fazendo a fiscalização, os consumidores precisam de uma dose saudável de ceticismo ao comprar qualquer produto que faça uma reivindicação de bem-estar.

Como as alegações falsas são desenfreadas, é importante recorrer a fontes confiáveis ​​e especializadas para obter informações, como o site disponibilizado pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e os departamentos de saúde estaduais e locais.

Segundo a Federal Trade Commission, são mais do que produtos falsificados: os golpistas estão criando sites, endereços de e-mail e postagens inteiramente falsos, não apenas para obter dinheiro, mas também para acessar as informações pessoais dos usuários.

Coronavírus: falsários aproveitam o surto para aplicar golpes 2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Com informações de WJLA)

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes