Leviathan Norwood, de 17 anos, foi considerado apto a ser julgado no Condado de Fauquier, na Virginia, sob a acusação de homicídio nas mortes da mãe e do irmão em 14 de fevereiro, e de balear o pai, em sua casa em Midland. “A avaliação o considerou competente. Não estamos contestando isso”, afirmou o defensor público Ryan Ruzic ao juiz Douglas Fleming, durante uma breve audiência, nessa quinta-feira (5).

No entanto, o advogado não revelou se o mesmo provedor de saúde mental acredita que Norwood estava são na noite em que atirou fatalmente em sua mãe, Jennifer, no irmão de seis anos, Wyatt, e feriu seu pai, Joshua. Ruzic disse que gostaria de falar com o médico, “para ver se uma moção pode ser justificada”.

A defesa tem até 30 dias antes do julgamento para apresentar uma moção anunciando que Norwood não era culpado por motivo de insanidade. Historicamente, se o relatório do provedor de saúde mental tivesse opinado que Norwood estava fora de si no momento dos disparos, Ruzic provavelmente teria alertado o juiz durante a audiência.

Barrando novas informações, ou uma oferta de confissão de promotores, o defensor declarou que buscará um julgamento com júri popular, na próxima audiência, marcada para 7 de janeiro.

Após a audiência no tribunal, o procurador do Condado de Fauquier, Scott Hook, se recusou a antecipar se estaria aberto a negociações de confissão com a defesa. Os promotores haviam defendido com sucesso a capacidade de pedir a um grande júri que acusasse Norwood quando adulto.

Testemunhos

Conforme os documentos de acusação, Leviathan “Levi” Norwood comentou com a namorada, mais cedo naquele dia, enquanto estava na escola, “que queria matar a mãe”. A namorada também contou que Norwood estava deprimido e ansioso, e relatou que ele era esquizofrênico e que veria “vultos”.

Publicidade

No entanto, antes de sua acusação, um juiz distrital decidiu que Norwood era competente para ser julgado. Logo após o tiroteio, o pai confirmou à polícia que o filho estava deprimido e tomando medicamentos controlados, e que ele e sua esposa “encontraram mensagens de texto no telefone de Leviathan informando sobre suicídio”.

Acusações

Norwood foi indiciado por duas acusações de assassinato em primeiro grau nas mortes de sua mãe e irmão, tentativa de homicídio no ferimento de seu pai, três acusações de uso de arma de fogo para cometer um crime e roubo de automóvel. Ele foi preso na Carolina do Norte, enquanto tentava fugir.

No final de abril, Joshua Norwood foi encontrado morto na casa da família. Na época, o Gabinete do Xerife do Condado de Fauquier disse que não havia indícios de crime.

Se condenado, o adolescente pode pegar prisão perpétua para cada assassinato e entre dois e dez anos por tentativa de homicídio. De acordo com uma nova lei da Virgínia, os menores são elegíveis para pedir liberdade condicional após cumprir 20 anos de prisão.

(Com informações de WTop)

Publicidade