A esmagadora maioria dos casos de coronavírus em DC é resultado da disseminação comunitária, revelou a diretora de Saúde do Distrito, LaQuandra Nesbitt, nessa segunda-feira (20), ao apresentar uma nova métrica detalhando como os moradores estão contraindo o vírus. Os números indicam que poucos casos estão conectados entre si, e isso preocupa as autoridades locais porque dificulta a contenção do vírus.

“Muitas das pessoas que estão sendo diagnosticadas com Covid-19 no Distrito não são pessoas que já estavam em quarentena ou não são o contato próximo de outra pessoa. Idealmente, o que queremos ver são mais casos conectados uns aos outros e mais casos ocorrendo em grupos, o que significa que temos mais evidências de contenção”, explicou a médica.

A porcentagem da nova métrica mostra que apenas 2,6% dos casos positivos em DC são de pessoas que já estavam em quarentena ou de alguém próximo a elas. Isso indica que a grande maioria dos casos positivos são daqueles que adquiriram o vírus fora de casa e não têm ideia de onde houve a contaminação.

A diretora de Saúde atribui o grande número de casos contraídos através da comunidade a mais pessoas que se esquecem de seguir orientações para distanciamento social, usar máscaras e se aventurar apenas em atividades essenciais. “Acho que temos um desafio com o aspecto ‘escolher atividades com sabedoria’ para a contenção. Acho que as pessoas ficaram muito relaxadas, enquanto ainda precisamos que sejam muito criteriosas ao escolher suas atividades”, afirmou.

Reabertura

O Distrito de Columbia está atualmente na segunda fase de seu plano de reabertura, que permite a operação de restaurantes, bibliotecas e empresas não essenciais, com metade da capacidade de atendimento, a observação do distanciamento social e o uso de máscaras.

Publicidade
Curso de inglês

Quando perguntada se o governo do Distrito consideraria trazer de volta mais restrições impostas, LaQuandra Nesbitt respondeu que a cidade está tendo essas discussões e que pode haver oportunidades para “intervenção”.

Nas últimas semanas, a região viu o número de casos de coronavírus aumentar, com outros estados do país tendo picos. A cidade também foi criticada pelo número de resultados de testes atrasados ​​(ou mesmo perdidos). Quando questionada sobre isso, a prefeita Muriel Bowser colocou a responsabilidade nos laboratórios.

“Nós podemos coletar amostras. Nós já conseguimos isso. Mas precisamos dos laboratórios para concluir os testes. E esses laboratórios, em grande parte, são de âmbito nacional. Então, o que eles fazem em Delaware afeta o tempo de processamento para nós aqui em DC”, comparou.

Visitas

Relacionada a essa nova métrica e para melhorar o rastreamento de contatos, a cidade também está direcionando equipes de visita domiciliar, que devem iniciar o trabalho na próxima semana. Elas visitarão indivíduos que deram positivo para Covid-19 e seus contatos próximos em quarentena, para avaliar as necessidades de serviços sociais, como alimentos, medicamentos e moradia. Também determinarão a capacidade do residente de se isolar com segurança dos outros.

(Com informações de DCist)

Publicidade
Curso de inglês