As instituições de saúde de todo o país adotaram as tecnologias de telessaúde para continuar prestando assistência durante a pandemia de coronavírus, e uma criança do Condado de Carroll, em Maryland, já obteve benefícios com esse tratamento remoto, segundo a família. Natalie Dorsey, de dez meses, teve os movimentos comprometidos pela paralisia cerebral.

Crystal Dorsey, moradora de New Windsor, conta que a filha sofreu dois derrames durante a gestação. A menina nasceu com paralisia cerebral espástica e desde então luta para usar o lado esquerdo do corpo e fazer movimentos completos com o braço esquerdo.

Natalie começou a receber terapia ocupacional via telessaúde do Programa de Transição Especializada do Kennedy Krieger Institute, com sede em Baltimore, quando tinha oito meses de idade, para ajudar a melhorar sua força. Ela foi tratada pela primeira vez na clínica de desenvolvimento neurológico do instituto, semelhante a uma unidade de terapia intensiva neonatal (UTIN), antes de ser transferida para o programa.

“Para uma criança pequena como Natalie, nosso papel é realmente orientar os pais ou responsáveis ​​para realizar atividades de tratamento, qualquer coisa que eu normalmente faria na clínica”, explica a terapeuta Nicole Andrejow.

“Estou instruindo as mães sobre como montar brinquedos em uma posição específica, que tipo de instruções ou dicas dar, como fornecer assistência ou demonstrar quando é necessário para ensinar o que as crianças devem fazer”, completa.

O Programa de Transição Especializada da Kennedy Krieger é um programa ambulatorial interdisciplinar intensivo e atende crianças e adolescentes que têm problemas neurológicos ou ortopédicos, fornecendo a eles um tratamento abrangente, como terapia física, ocupacional ou fonoaudiológica. Nicole Andrejow, líder do departamento de telessaúde do programa, comenta que, devido à pandemia, os terapeutas começaram a oferecer terapia via telessaúde assim que os atendimentos presenciais foram suspensos.

Publicidade
Curso Design de Cobrancelhas

“Quando isso começou em março, mudamos todo o nosso número de casos para a telessaúde. Um dia inteiro de pacientes que todos os nossos terapeutas normalmente veriam na clínica foi suspenso, então, essencialmente, 100% dos nossos pacientes estão em telessaúde há meses”, pontua.

Avanço

Crystal declara que a melhoria de Natalie aumentou drasticamente desde o início de suas consultas em telessaúde. Ela ganhou mais controle sobre os movimentos do corpo e tem usado o braço esquerdo com pouco ou nenhum incentivo da terapeuta.

“Nicole foi muito boa em explicar por que estaríamos fazendo certos movimentos, e ela me informou o que eu precisava mudar. Às vezes, pode ser a menor mudança e ela me explica como estamos tentando simular o desenvolvimento natural de Natalie através da terapia”, relata a mãe.

Crystal disse que podia sentir uma diferença no corpo de Natalie apenas ao buscá-la após uma semana de sessões diárias, e Natalie também aprendeu a rolar sozinha usando seu lado mais fraco.

(Com informações de Baltimore Sun)

Publicidade
Curso Design de Cobrancelhas