Com um prazo se aproximando rapidamente para que os funcionários das Escolas Públicas de DC (DCPS) e do Condado de Fairfax, Virginia, decidam se retornam à sala de aula para o aprendizado presencial, os professores expressaram preocupação com a possibilidade de voltar às escolas e frustração com o curto prazo para tomar uma decisão. Educadores dos dois distritos escolares têm até a tarde desta terça-feira (6) para decidir se vão se comprometer com o ensino presencial.

Nessa segunda-feira (5), o chanceler do DCPS, Lewis D. Ferebee, anunciou que a reabertura em etapas começará com alunos do ensino fundamental em 9 de novembro. “Aprender em casa não está funcionando para todos os alunos. Nós particularmente sabemos que nossos filhos mais novos são os mais problemáticos”, pontuou.

Após o anúncio, o debate sobre o retorno à sala de aula continuou a trazer muito estresse para os funcionários. “Há muita ansiedade com o prazo. Deveríamos (retornar)? Não deveríamos? Como professores, queremos voltar, mas também queremos ter certeza de que não levaremos a doença de volta para nossas famílias”, argumenta o professor David Ifill, que ensina música na Brookland Middle School.

Embora o ensino virtual tenha apresentado desafios durante a pandemia, ele entende que os alunos e funcionários estavam sendo mantidos em segurança ficando em casa. “Ser professor de música agora é muito difícil, mas também sei que minha saúde e a das crianças são extremamente importantes. Você tem que ter escolas de volta, mas também tem que ter professores vivos para ensiná-los”, aponta.

Quando o segundo período do ano letivo começar no mês que vem, todas as operações presenciais serão monitoradas de forma consistente de acordo com o DC Health. Mesmo assim, Ifill e outros professores protestaram contra a reabertura das escolas no último sábado (3), em uma manifestação fora da casa da prefeita Muriel Bowser.

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes

Fairfax

Esta terça-feira também é o último dia em que professores de Fairfax podem decidir se aceitam retomar as aulas presenciais, enviar uma solicitação do American with Disabilities Act (ADA), tirar uma licença sem vencimento, solicitar uma licença por motivos de cuidados infantis e depois retornar para instrução pessoal, renunciar ou se aposentar.

No mês passado, os funcionários das Escolas Públicas do condado aprovaram uma moção que permitiria aos alunos que estão lutando com o aprendizado virtual começar a aprender pessoalmente em outubro para obter a ajuda de que precisam.

Para a assistente da pré-escola Verika McIntyre, a decisão de reabrir as escolas a fez questionar os motivos do distrito. “Eles estão dizendo que os professores são dispensáveis?”, questionou. “É desanimador. Realmente me assusta”.

Ela tem um problema de saúde preexistente, que exigiria o uso de um traje completo de proteção, com máscara, protetor facial e luvas durante as aulas. Professores acrescentaram que salas de aula pequenas, sistemas de renovação do ar antigos dentro das instalações e a falta de ventilação em algumas salas de aula aumentam as preocupações.

(Com informações de WUSA)

Publicidade
Curso Design de Cobrancelhas