Organizações trabalhistas e ambientais estão pressionando por novas proteções no local de trabalho em Maryland, dizendo que as regras estaduais atuais não são adequadas para manter os trabalhadores seguros na pandemia de coronavírus. Os grupos querem que o governador Larry Hogan emita uma ordem executiva exigindo que o programa de segurança ocupacional do Departamento de Trabalho do estado adote novos regulamentos para empresas.

Em um comunicado divulgado nessa quarta-feira (26), os grupos disseram que Hogan ignorou seus pedidos anteriores de salvaguardas no local de trabalho contra a pandemia. Eles pediram ao governador em maio que publicasse o que é conhecido como um “padrão temporário de emergência” – novos regulamentos de segurança para proteger os funcionários da exposição ao coronavírus, como a exigência de distanciamento e uso de máscaras.

Os sindicatos em todo o país têm pressionado por um padrão temporário de emergência para Covid-19 em meio à falta de fiscalização pela Administração Federal de Segurança e Saúde Ocupacional, enquanto grupos da indústria se opõem a novas regulamentações.

Porta-voz de Hogan, Shareese Churchill disse em um comunicado que um padrão temporário de emergência não é necessário porque as ordens já emitidas pelo governador dão às autoridades locais de saúde autonomia para fechar instalações inseguras. “Nossa maior prioridade continua sendo a segurança dos habitantes de Maryland”, afirmou.

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes

Reclamações

Conforme as autoridades estaduais, os departamentos de saúde locais estão lidando com reclamações sobre uso de máscaras, distanciamento social e níveis de ocupação, enquanto a Segurança e Saúde Ocupacional de Maryland (MOSH) está investigando reclamações sobre questões como uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) e higienização.

Uma dúzia de organizações assinou o último pedido para Hogan. Os grupos dizem que um padrão de emergência “abordaria diretamente os riscos da Covid-19 e forneceria ao MOSH autoridade clara para agir”. De acordo com eles, mais de uma dúzia de outros governadores “tomaram medidas para proteger os trabalhadores” na pandemia.

“Já há ampla evidência do impacto desproporcional da pandemia na saúde daqueles trabalhadores essenciais que nunca pararam de trabalhar. Além disso, trabalhadores negros e latinos têm maior probabilidade de estar em empregos de linha de frente e essas comunidades têm taxas desproporcionais de doenças e mortes relacionadas à Covid-19”, apontam as entidades na carta enviada ao governador.

(Com informações de Baltimore Sun)

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes