A Pfizer disse nesta segunda-feira (9) que uma prévia dos dados sobre sua vacina contra o coronavírus sugere que as injeções podem ser 90% eficazes na prevenção da Covid-19, colocando a empresa no caminho certo para se inscrever no final deste mês para a aprovação de uso emergencial da Food and Drug Administration (FDA).

O anúncio é uma notícia rara e importante de encorajamento na batalha contra o flagelo que matou mais de 1,2 milhão de pessoas em todo o mundo, incluindo quase um quarto de milhão apenas nos EUA.

As empresas farmacêuticas e vários países estão em uma corrida global para desenvolver uma vacina contra o vírus. “Estamos em uma posição potencialmente capaz de oferecer alguma esperança”, afirmou Bill Gruber, vice-presidente sênior de desenvolvimento clínico da Pfizer.

O anúncio não significa que uma vacina seja iminente: esta análise provisória, de um conselho independente de monitoramento de dados, analisou 94 infecções registradas até agora em um estudo que envolveu quase 44 mil pessoas nos Estados Unidos e em cinco outros países. Alguns participantes tomaram a vacina, outros tomaram injeções falsas.

Publicidade

A Pfizer Inc. não forneceu mais detalhes sobre essas infecções e alertou que a taxa de proteção inicial pode mudar quando o estudo terminar. Até mesmo revelar esses dados iniciais é altamente incomum.

As autoridades enfatizam que é improvável que qualquer vacina chegue muito antes do final do ano, e os suprimentos iniciais serão racionados. “Precisamos ver os dados, mas isso é extremamente promissor”, avalia Jesse Goodman, da Georgetown University, ex-chefe da divisão de vacinas da FDA.

Ele assinala muitas questões que ainda não foram respondidas, incluindo por quanto tempo os efeitos da vacina duram e se ela protege tanto os mais velhos quanto os mais jovens.

(Com informações da Associated Press)

Publicidade