A principal autoridade de saúde de Washington disse que mais pessoas na capital do país estão morrendo de doenças tratáveis, incluindo diabetes, doenças cardíacas e câncer, enquanto as visitas de rotina a hospitais e prestadores de cuidados primários continuam a cair, devido ao temor pelo coronavírus.

A principal hipótese levantada pelo Departamento de Saúde de DC é que, enquanto as pessoas continuam em casa, os check-ups e as visitas ao hospital estão sendo adiados. Os atrasos podem resultar em consequências mortais, contribuindo para um aumento significativo no número de óbitos registrados entre janeiro e maio deste ano.

“Observamos o que consideraríamos excesso de mortes e vimos um aumento de 40% e 46% do excesso de mortes que vimos no Distrito não está relacionado à Covid-19”, explica a diretora de saúde de DC, LaQuandra Nesbitt.

Ela ressalta as mortes por doenças tratáveis, enquanto as mortes por acidentes estão caindo. A análise dos dados sugere que, à medida que as consultas médicas de rotina diminuem em DC, as taxas de mortalidade por mortes evitáveis ​​aumentam.

Publicidade

Para combater a tendência, o Distrito começará em breve a promover duas campanhas de saúde pública. A Associação de Hospitais do Distrito de Columbia (DCHA) apresentou o slogan “Não atrase os cuidados”, enquanto a Associação Americana do Coração propõe: “Não morra de dúvida”. “Os hospitais são seguros, um lugar seguro para você estar, e nossa primeira prioridade é proteger sua saúde”, salienta Jacqueline Bowens, CEO da DCHA.

Diagnósticos de HIV

LaQuandra Nesbitt acrescentou que a cidade também está vendo um aumento nos diagnósticos de HIV em estágio avançado, nos dados analisados ​​entre janeiro e maio de 2020.

Segundo ela, as populações negra e latino-americana de Washington são desproporcionalmente afetadas pelo atual aumento do excesso de mortes, paralelamente ao aumento das taxas de mortalidade infligidas pelo coronavírus.

(Com informações de WUSA)

Publicidade
CCA idiomas