O hospital de campanha instalado em Baltimore, Maryland, para atender pacientes de coronavírus tem baixa ocupação desde a abertura em abril, mas as autoridades de saúde dizem que ele continuará funcionando como uma precaução, enquanto o estado diminui as restrições às atividades. Nesta sexta-feira (5), Maryland dá início à segunda fase de seu plano de reabertura.

Cerca de 109 pacientes foram transferidos de 19 hospitais de Maryland para a instalação no Baltimore Convention Center desde sua ativação, permanecendo por uma média de cinco dias, segundo informações de Chuck Callahan, co-diretor do hospital de campanha e membro do Centro Médico da Universidade de Maryland.

Em um esforço para expandir a capacidade de leitos hospitalares, as autoridades estaduais converteram o centro de convenções em um hospital de campanha e o colocaram sob a direção dos sistemas médicos da Universidade de Maryland e Johns Hopkins.

As autoridades disseram na época que também estavam preparadas para aumentar a presença do centro médico e o número de leitos, caso os prestadores de serviços de saúde ficassem sobrecarregados com os casos de Covid-19. Desde então, Maryland confirmou mais de 55 mil casos de coronavírus e 2,5 mil mortes em todo o estado.

Com uma média de 15 pacientes internados por um dia, o local tem ocupada apenas uma fração de sua capacidade de 250 leitos. São boas notícias, na avaliação de Jim Ficke, diretor do hospital de campanha e médico da Johns Hopkins Medicine.

Publicidade
Curso de inglês

“Com o distanciamento social e a mitigação de riscos e contatos, houve um número muito menor de admissões e, felizmente, as mortes foram muito menores do que as modeladas”, explica Ficke. “Estávamos ocupados, mas não ficamos impressionados”, afirma.

O governador Larry Hogan anunciou na quarta-feira (3) que o estado aliviaria mais restrições às empresas. No entanto, uma reabertura adicional depende da disciplina dos cidadãos em continuar a seguir as recomendações de saúde pública, como usar máscaras para cobrir o rosto, ficar seis pés afastados dos outros e permanecer em casa o máximo possível.

Atualmente, pouco menos de 1,1 mil pessoas estão hospitalizadas em Maryland para tratamento do coronavírus, e a métrica da Administração Hogan está observando de perto enquanto continua a reabrir a economia. “O estado permanece comprometido com o hospital de campo do centro de convenções por um futuro próximo, dada a importância de ter capacidade para surtos médicos, mesmo que seja uma medida de precaução”, informa Michael Ricci, porta-voz do governo estadual. O estado tem um contrato de arrendamento de seis meses com o centro de convenções.

(Com informações de Baltimore Sun)

Publicidade
Curso de inglês