O desinfetante para as mãos rapidamente se transformou em ouro líquido durante a pandemia de coronavírus. Mas a Food and Drug Administration alerta que a alta demanda faz com que algumas empresas utilizem ingredientes tóxicos para atender à demanda. A agência sinalizou mais de 60 produtos para recall que deram positivo para metanol, produto químico que pode ser tóxico quando absorvido pela pele e com risco de morte se ingerido.

Quando sabão e água não estão disponíveis, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) afirmam que o desinfetante para as mãos com pelo menos 60% de álcool etílico é a próxima melhor coisa. Mas nem todos os tipos de álcool servem.

O etanol está presente em bebidas para adultos, como vodca, e nos desinfetantes para as mãos (o gel antibacteriano nunca deve ser consumido). Já o isopropil é um antisséptico tópico. O metanol é um tipo de álcool não usado em bebidas, mas para criar combustível e anticongelante.

Se você verificar a parte de trás do seu frasco antibacteriano, deve ver o álcool etílico ou o etanol como ingrediente ativo. “Infelizmente, algumas empresas estão aproveitando o aumento do uso do desinfetante para as mãos durante a pandemia de coronavírus e colocando vidas em risco com a venda de produtos com ingredientes perigosos e inaceitáveis”, afirma Stephen Hahn, comissário da FDA.

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes

A agência aconselha os consumidores a não usar os desinfetantes para as mãos retirados do mercado, vendidos por empresas como a Modesa. Verifique se sua marca consta da lista do FDA e, se corresponder a uma das empresas ou produtos, jogue-o fora.

Há uma investigação ativa sobre o uso de metanol em algumas marcas de desinfetantes. Os sintomas para crianças e adultos que ingerem produtos contaminados com metanol podem ter náusea, vômito, dor de cabeça, visão turva, convulsões, coma, danos no sistema nervoso e problemas que podem levar a óbito.

(Com informações de WJLA)

Publicidade
CCA idiomas