A chegada do frio potencializa o risco de contrair o coronavírus, o que coloca em alerta as autoridades de saúde. Já durante o outono, os Estados Unidos vivenciam aumento de casos, levando à possibilidade de novas restrições às atividades para conter o avanço da Covid-19.

No Condado de Montgomery, em Maryland, o executivo Marc Elrich emitiu uma nova ordem nesse sentido, pois os casos da doença aumentaram significativamente nas últimas semanas. O conselho do condado iria votar as propostas nessa quinta-feira (5), mas a votação foi adiada para terça-feira (10).

As novas restrições reduziriam a capacidade em restaurantes, lojas de varejo e outros locais para 25%, e exigiriam que os restaurantes mantivessem informações de clientes para o rastreamento de contato por 30 dias.

No estado, as jurisdições têm autonomia para decidir sobre os fechamentos e impor novas exigências. Em resposta às crescentes taxas de positividade e hospitalizações em Maryland, o governador Larry Hogan incentivou os moradores a seguirem todos os protocolos de saúde pública.

“Maryland está muito mais preparado do que a maioria dos estados e será capaz de suportar esta próxima onda. No entanto, não posso enfatizar o suficiente a importância de não baixar a guarda. As próximas semanas e meses serão difíceis, e nossas ações coletivas determinarão se podemos continuar com segurança no caminho da recuperação”, considera Hogan.

Publicidade

O uso de máscara continua obrigatório em todo o estado e a fiscalização foi intensificada para garantir a conformidade com todos os regulamentos de saúde pública. Os moradores são incentivados a continuar o teletrabalho e os empregadores devem fazer todos os esforços para dar aos funcionários a oportunidade de trabalhar remotamente.

A recomendação de viagens emitida pelas autoridades estaduais de saúde foi renovada e permanece em vigor. De acordo com essa recomendação, os moradores são fortemente desaconselhados a viajar para estados com taxas de positividade de 10% ou mais. Qualquer pessoa que retornar desses estados deve fazer o teste e ficar em quarentena enquanto aguarda os resultados. As viagens devem limitar-se ao essencial.

DC

A prefeita de Washington, Muriel Bowser, emitiu uma nova ordem nessa quinta-feira: se você estiver indo para o Distrito, faça o teste. “De acordo com o novo aviso de viagens, as pessoas que estão visitando DC precisarão fazer o teste 72 horas antes de viajar. As viagens devem ser restringidas o máximo possível”, recomendou em entrevista coletiva.

A ordem entra em vigor na segunda-feira (9), prevendo algumas exceções. Pessoas da Virgínia e de Maryland que viajam para DC estão isentas, assim como em casos de emergências familiares e funerais.

Publicidade