Maryland está renovando a parceria com a Fundação Harry e Jeanette Weinberg para viabilizar o projeto habitacional “Oportunidades de aluguel de moradias acessíveis para pessoas com deficiência”. O programa financiará a criação de oportunidades de vida comunitária integradas e acessíveis em todo o estado para pessoas de renda extremamente baixa.

A iniciativa será supervisionada em conjunto pelos Departamentos de Deficiências de Maryland (MDOD), Habitação e Desenvolvimento Comunitário (DHCD) e Saúde (MDH).

“Nosso estado realmente fica mais forte quando todos os nossos cidadãos são capazes de contribuir com suas comunidades e colher os frutos dessas contribuições. Ao fornecer moradia acessível para aqueles que mais precisam, este programa é mais uma forma de trabalharmos para criar um futuro mais seguro, inclusivo e justo para todos os habitantes de Maryland”, entende o governador Larry Hogan.

O programa apoiará os moradores com necessidades de serviço e priorizará as populações designadas com maior necessidade de moradia, incluindo jovens adultos com cuidadores idosos, jovens adultos que estão fora de um orfanato e indivíduos sem teto.

Publicidade
Curso Design de Cobrancelhas

“O Departamento de Deficiências de Maryland espera trabalhar com nossas agências irmãs e a Fundação Weinberg para continuar este importante programa”, afirma a secretária do MDOD, Carol Beatty.

A Fundação Weinberg comprometeu uma doação de capital de US$ 3 milhões para o desenvolvimento de moradias adicionais de aluguel para pessoas com deficiência que recebem tanto Renda da Previdência Social quanto Renda por Incapacidade. Isso se junta a uma doação de US$ 2 milhões emitida em 2011 e uma doação adicional de US$ 2 milhões realizada em 2016, o que levou à produção de 33 unidades em todo o estado até agora.

“A Fundação tem o compromisso de fornecer às pessoas com deficiência a oportunidade de viver de forma independente, segura e dentro de suas comunidades. Para tanto, essa parceria oferece um mecanismo criativo para tornar habitações integradas e de alta qualidade acessíveis para aqueles que mais precisam”, avalia Amy Kleine, diretora sênior do Programa da Fundação Weinberg.

Os aluguéis para essas unidades serão fixados em 10 a 30% da renda média da área (AMI), uma taxa significativamente mais acessível que leva em consideração as circunstâncias financeiras enfrentadas por pessoas com deficiência, muitas das quais residem a 20% do AMI ou menos. Prevê-se que esta iteração de financiamento do programa estará disponível em apartamentos prontos para locação no início de 2021.

Publicidade
Curso de inglês