Mesmo quando o céu se abriu e a chuva caiu forte em Washington, os manifestantes permaneceram no local nessa quinta-feira (4), pela sétima noite consecutiva para exigir justiça e mudanças após a morte de George Floyd em Minneapolis. Os participantes não se intimidaram com o mau tempo e continuaram a marchar pelo centro.

Os líderes locais disseram que estão esperando manifestações ainda maiores no fim de semana. “Temos muitas informações públicas e de código aberto para sugerir que o evento deste próximo sábado (6) pode ser um dos maiores que já tivemos na cidade”, afirmou Peter Newsham, chefe da polícia de DC, durante uma coletiva nessa quinta-feira.

“Esperamos que a manifestação de sábado seja, como eu disse, com os mesmos manifestantes pacíficos que vêm exercer sua Primeira Emenda em Washington, DC”, acrescentou.

A União Americana das Liberdades Civis (ACLU) entrou com uma ação em nome dos manifestantes que foram retirados da Praça Lafayette, perto da Casa Branca, antes da foto do presidente Donald Trump na igreja de Saint John, na segunda-feira (1º).

O processo acusa Trump, o procurador-geral William Barr, o secretário de Defesa, Mark Esper, e outros de violar o direito dos manifestantes à liberdade de expressão e reunião, além de violações de direitos garantidos a eles pela Quarta Emenda.

Guarda Nacional

A prefeita Muriel Bowser agradeceu aos governadores da Virgínia, Nova York, Pensilvânia e Delaware por não enviar tropas da Guarda Nacional para DC, para reprimir os protestos.

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes

Mais uma vez, ela defendeu o status de estado para Washington, para que a capital do país tivesse autonomia sobre como a Guarda Nacional é implantada na cidade. Tal como está, a decisão de enviar tropas para o Distrito é tomada no nível federal. “A última coisa que queremos são tropas de fora em Washington, DC”, declarou.

Várias centenas de tropas foram enviadas à capital para ajudar a conter protestos violentos na área. Nessa quinta-feira, centenas de soldados foram informados que seriam mandados de volta para suas bases.

Legislação

Com a urgência de protestos em massa diante de suas portas, os legisladores do Capitólio estão trabalhando furiosamente para redigir o que poderia se tornar um dos esforços mais ambiciosos em anos para supervisionar o funcionamento da aplicação da lei.

Espera-se que os esforços do Senado e da Câmara incluam mudanças nas leis de prestação de contas da polícia, como a revisão de disposições sobre imunidade e a criação de um banco de dados de incidentes de uso da força policial. Também são planejados requisitos de treinamento renovados, entre eles a proibição do uso de estrangulamentos.

(Com informações de WTop e Associated Press)

Publicidade
CCA idiomas