Tendo como moderador Chris Wallace, da Fox News, os candidatos à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump e Joe Biden, participaram de um debate nessa terça-feira (29), em Cleveland, Ohio, e literalmente se enfrentaram. O primeiro encontro entre os concorrentes à Casa Branca foi marcado por ataques pessoais, provocações e interrupções, deixando de lado as crises históricas pelas quais o país passa.

No debate presidencial mais tumultuado da memória recente, Trump interrompia repetidamente seu oponente com golpes de raiva – e pessoais. Também houve confrontos acalorados sobre a forma como o presidente lidou com a pandemia, a integridade dos resultados eleitorais, ataques pessoais profundos contra a família de Biden e como a Suprema Corte moldará o futuro da saúde pública do país.

Mas o tom beligerante foi persistente, de alguma forma adequado para o que foi uma campanha extraordinariamente feia. Os dois candidatos falavam frequentemente um do outro, com Trump interrompendo, quase gritando, com tanta frequência que Biden finalmente gritou com ele: “Quer calar a boca, cara?”

A corrida presidencial está notavelmente estável há semanas, apesar das crises históricas que atingiram o país este ano, incluindo uma pandemia que matou mais de 200 mil americanos e um ajuste de contas sobre raça e brutalidade policial. Com apenas cinco semanas até o dia da eleição e a votação já em andamento em alguns estados-chave, Biden manteve a liderança nas pesquisas nacionais e em muitos campos de batalha. Não está claro se o debate contribuirá muito para mudar essa dinâmica.

Publicidade
Curso de inglês

Trump tentou controlar a conversa, desviando as duras linhas de questionamento, sobre quanto paga de impostos ou sua forma de lidar com a pandemia, para atacar Biden. O adversário tentou se opor a Trump, às vezes olhando para a câmera para se dirigir diretamente aos espectadores, e não ao presidente, e disparando: “É difícil falar com este palhaço”.

Impostos

O debate disperso saltou de tópico para tópico e se inflamou quando o assunto foi pagamento de impostos. Antes do encontro, Biden divulgou suas declarações de imposto de renda de 2019 – poucos dias após as revelações sobre a história tributária há muito oculta de Trump, incluindo que ele pagou apenas US$ 750 por ano em impostos federais em 2016 e 2017 e nada em muitos outros anos. Os Bidens pagaram quase US$ 300 mil em impostos em 2019.

Trump insistiu que pagou milhões em impostos, mas se recusou a dizer quanto. Também alegou que tinha aproveitado os incentivos fiscais legais, outra troca furiosa que levou Biden a declarar que Trump era o “pior presidente” que a nação já teve.

(Com informações de Associated Press)

Publicidade
Curso de inglês