A Concord Coach Lines planeja revisar sua política de permitir que agentes federais da Patrulha de Fronteira dos Estados Unidos (CBP, sigla em inglês) e do Departamento de Imigração e Alfândega (ICE) realizem verificações de imigração a bordo de seus ônibus. A empresa oferece linhas que ligam o estado do Maine a Boston (Massachusetts) e à cidade de Nova York (NY).

A decisão ocorre depois que a Greyhound, a maior linha de ônibus do país, disse na semana passada que não permitiria mais que as autoridades de imigração realizassem verificações, sem o respectivo mandado judicial, a bordo de seus ônibus.

“As circunstâncias relativas à aplicação da lei e às viagens de passageiros de ônibus, em comparação com outros meios de viagem, não mudaram”, disse Benjamin Blunt, vice-presidente da Concord Coach Lines, em comunicado por escrito divulgado na segunda-feira (24).

“Como muitos de nossos passageiros vêm ou se conectam a ônibus da Greyhound, estamos preocupados com o fato de políticas conflitantes serem potencialmente problemáticas para eles. Nós vamos consultar nossa associação nacional e um advogado”, continuou.

Publicidade
Curso de inglês

A empresa Concord Coach, com sede em New Hampshire, opera na Nova Inglaterra e é frequentemente usada pelos viajantes do Maine para viagens a Boston, Aeroporto Logan e Nova York.

A Greyhound disse na semana passada que enviou uma carta informando o Departamento de Segurança Interna sobre sua nova política. A empresa também disse que treinaria os funcionários sobre esta mudança e colocaria adesivos em seus ônibus, dizendo que não concorda com as buscas dos agentes de imigração.

As verificações de imigração nos ônibus da Concord Coach alimentaram controvérsias no estado do Maine. A CBP citou sua autoridade para realizar verificações de cidadania, sem um mandado, dentro de 100 milhas da fronteira, que inclui todo o Maine.

(Com informações de Brazilian Times)

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes