O National Aquarium, em Baltimore, Maryland, perdeu um de seus moradores. Nessa segunda-feira (3), o aquário anunciou a morte de Calypso, a tartaruga marinha verde de mais de 200 quilos que inspirou admiração em milhões de espectadores desde que chegou ao local, em 2002.

Conforme um comunicado, antes da abertura do Aquarium ao público, Calypso foi encontrada sem resposta na exposição “Recife de Ponta Negra”. Os funcionários a socorreram imediatamente, mas apesar de seus esforços foi confirmado que o animal já estava morto.

A causa da morte ainda é desconhecida e será apurada através da necropsia. Testes preliminares concluídos pela equipe de Saúde e Bem-Estar Animal do Aquário não revelaram nenhuma causa óbvia de morte e Calypso não exibiu nenhuma indicação recente de doença ou sofrimento.

Resgate

A tartaruga foi resgatada pela Fundação Riverhead para Pesquisa e Preservação Marinha em 2000, depois de encalhar no Long Island Sound com a nadadeira dianteira esquerda machucada, que mais tarde foi amputada para impedir a propagação da infecção em tecidos saudáveis.

Publicidade

Quando resgatada, ela pesava menos de três quilos e acreditava-se que tinha aproximadamente dois a três anos de idade. Em 2002, Calypso foi recebida em sua casa permanente no Aquário Nacional, onde instantaneamente se tornou uma das favoritas dos convidados e da equipe, presidindo primeiro a exposição “Asas na Água”, antes de passar para “Recife de Ponta Negra”, em 2013, onde era uma figura central.

Destaque

Sua presença se tornou tão icônica que, devido à demanda popular, a loja de lembranças do Aquarium encomendou uma tartaruga marinha de pelúcia especial sem a nadadeira frontal esquerda.

“Estamos realmente arrasados ​​por perder Calypso. Desde a equipe que interagia com ela todos os dias até nossos convidados e membros, todos os que encontraram Calypso nunca a esquecerão. Nos últimos 18 anos, ela inspirou milhões e encarnou nossa missão de conservação”, disse o diretor executivo da National Aquarium, John Racanelli.

Publicidade