À medida que o início do ano letivo de 2020 se aproxima, os condados de Maryland estão anunciando planos e diretrizes para a realização de aulas enquanto contêm a disseminação do coronavírus. Enquanto isso, autoridades federais, incluindo o presidente Donald Trump, começaram a pressionar todas as escolas a retomar o aprendizado presencial, apesar dos fatores de alto risco envolvidos, conforme descrito em um novo relatório dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

O governador de Maryland, Larry Hogan, em uma aparição ao vivo na televisão no domingo (19), disse que o estado “não vai se apressar nisso”, dadas as incertezas envolvidas. “Todos gostariam de levar nossos filhos de volta à escola o mais rápido possível, mas também queremos fazê-lo e garantir que nossos filhos estejam o mais seguros possível”, afirmou.

“Desde o início desta crise, sempre trabalhamos em estreita colaboração com nossos médicos, cientistas e epidemiologistas para garantir que estamos fazendo as coisas que fazem mais sentido”, acrescentou o governador. Segundo ele, a superintendente estadual de Educação, Karen Salmon, fornecerá uma atualização sobre a reabertura das escolas na próxima semana.

Os sistemas escolares locais têm autonomia para decidir como o ano letivo será retomado e alguns deles já definiram pelo retorno ainda com aulas 100% virtuais. É o caso das escolas públicas do Condado de Anne Arundel, após discussões com autoridades de saúde, das pesquisas enviadas para famílias e funcionários, bem como da revisão de outros distritos escolares.

Definições

Na cidade de Baltimore, a CEO do sistema escolar, Sonja Santelises, informou que o ano letivo começará com ensino a distância e não haverá aulas presenciais até o final do outono. Uma atualização dos planos deve ser anunciada até 16 de outubro.

O Conselho de Educação do Condado de Baltimore votou nessa terça-feira (21) para adiar o retorno aos prédios das escolas até o final do semestre, em 29 de janeiro, citando preocupações de segurança pública e um aumento antecipado de casos de coronavírus no outono, com base em modelos de especialistas em saúde.

Os alunos começarão as aulas remotamente em 8 de setembro, e continuarão o aprendizado virtual até o final de janeiro, dependendo das condições de saúde pública da época.

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes

Centros de apoio

Os alunos das Escolas Públicas do Condado de Harford serão ensinados virtualmente nos dois primeiros trimestres do ano letivo de 2020-2021. O sistema escolar também oferecerá “Centros de Apoio à Aprendizagem” em escolas onde um número limitado de alunos terá acesso à internet e supervisão de um funcionário do distrito.

O sistema escolar revisará as condições e orientações dos departamentos de saúde estaduais e locais em novembro e considerará estender o aprendizado virtual até a segunda metade do ano letivo.

Em Howard, as escolas começarão o ano acadêmico também com 100% de instrução virtual até pelo menos o final de janeiro, quando termina o segundo trimestre. Durante os primeiros cinco meses, o sistema escolar desenvolverá modelos de aprendizado híbridos e presenciais para, eventualmente, serem implementados no segundo semestre.

Montgomery

De acordo com um guia preliminar divulgado pelas autoridades das Escolas Públicas do Condado de Montgomery, o sistema planeja iniciar o ano letivo totalmente on-line e gradualmente reintroduzir os alunos e professores de volta aos prédios.

Esse modelo somente virtual dura de duas a quatro semanas antes da primeira onda de estudantes entrar no prédio em uma base rotacional. Espera-se que cada série inclua uma rotação presencial até novembro. O rascunho do guia está sujeito a alterações com base nas métricas do estado.

(Com informações de Capital Gazette)

Publicidade
CCA idiomas