Milhares de alunos estão faltando às aulas na área de Baltimore, em Maryland, alguns porque não têm acesso à internet e outros que podem ter abandonado as escolas públicas durante a pandemia. Os números exatos não serão conhecidos por várias semanas, mas nesta quarta-feira (30) cada sistema escolar no estado contabilizará seus alunos como parte de uma contagem anual exigida pela lei estadual.

Estima-se que o declínio seja significativo em alguns sistemas escolares – e, a menos que as autoridades estaduais intervenham, as consequências para o orçamento das escolas públicas no próximo ano podem ser devastadoras.

A CEO das escolas da cidade de Baltimore, Sonja Santelises, disse que cerca de 21% dos alunos de seu distrito não estão fazendo as aulas on-line, um número que já chegou a ser de 35%, e reduziu à medida que mais estudantes conseguiam dispositivos e acesso à internet. A rede de ensino está distribuindo laptops o mais rápido possível, mas alguns ainda estão em espera.

“Esta é uma crise para as nossas escolas públicas e exige ação governamental. O governador (Larry) Hogan tem que intervir e garantir que as escolas sejam preservadas, porque não é culpa delas (a evasão)”, argumenta Joe Francaviglia, diretor executivo da Strong Schools Maryland, uma rede de defensores da educação de base em todo o estado.

Ele estima que o sistema de Baltimore sozinho pode perder mais de US$ 100 milhões do orçamento, se o número oficial de matrículas diminuir tanto quanto o previsto. “Quando uma área não tem acesso à internet, o sistema escolar é penalizado por isso – é irritante”, considera.

No Condado de Anne Arundel, as matrículas caíram em cerca de mil alunos, ou um pouco mais de 1%. Dos alunos que estão matriculados este ano, cerca de 93% estão se inscrevendo para o ensino on-line.

Publicidade
Curso Design de Cobrancelhas

No Condado de Carroll, cerca de 700 alunos, ou 3% do total de matriculados no ano passado, não estão participando das aulas virtuais.

As escolas dos Condados de Howard e de Baltimore não forneceram estimativas de matrículas para este ano em comparação com o ano passado. Howard informou que 96% dos alunos matriculados este ano estão frequentando as aulas. Funcionários das escolas do Condado de Baltimore declararam que cerca de 93% de seus alunos estão comparecendo, um pouco menos do que frequentariam a escola em um dia normal de um ano normal. O Condado de Harford não forneceu dados.

Rastreamento

Os sistemas escolares estão tentando rastrear os alunos desaparecidos, mas é um trabalho difícil, porque a crise econômica forçou as famílias a se mudarem ou mudarem de número de telefone. E os pais que não estão em casa porque estão trabalhando não podem garantir que seus filhos estejam on-line no momento certo para acessar instruções ao vivo.

Os diretores prestam muita atenção ao número de alunos que estão em suas listas. Em um ano normal, as escolas oferecem incentivos especiais para que todos os alunos frequentem a escola em 30 de setembro para que possam ser contados. Cada aluno traduz milhares de dólares para sua escola. O financiamento estadual e federal é distribuído com base em uma fórmula que fornece uma determinada quantia para cada aluno do distrito.

Michael Petrilli, presidente da Fundação Thomas B. Fordham, acredita que as matrículas nas escolas públicas voltarão aos níveis pré-pandêmicos assim que houver uma vacina e todas as escolas estiverem fisicamente abertas. Algo que ainda não tem previsão para se concretizar.

(Com informações de Baltimore Sun)

Publicidade