À medida em que a demanda está aumentando para as famílias que desejam uma opção ao aprendizado virtual, as escolas particulares da área de DMV planejam retomar as aulas presenciais já no início do ano letivo. É o caso de uma instituição do Condado de Loudoun, na Virginia.

A Escola de Estudos Avançados Loudoun investiu quase US$ 150 mil em atualizações de tecnologia e segurança, incluindo um scanner térmico de temperatura corporal e um filtro de ar UV anunciado para eliminar vírus, de acordo com o fundador da escola, Deep Sran. “Acho que este é o prédio da escola mais seguro do país no momento”, afirmou.

Segundo Sran, o número de matrículas deve quase dobrar neste outono, com muitas das novas famílias provenientes dos sistemas de escolas públicas dos Condados de Loudoun e Montgomery, que decidiram iniciar o ano letivo com aprendizado apenas virtual. A escola particular da sexta à 12ª série, onde as mensalidades custam cerca de US$ 30 mil por ano, também exigirá máscaras e distanciamento social.

No Condado de Stafford, nas proximidades, vários membros da equipe testaram positivo para Covid-19 depois de voltar à escola esta semana, para um treinamento pessoal de novos professores.

Com a abertura de escolas públicas em outras partes do país, surgiram fotos de estudantes com poucas máscaras e quase nenhum distanciamento social.

Maryland

No Condado de Montgomery, em Maryland, o diretor de Saúde, Travis Gayles, instruiu as escolas particulares do condado de quase 1,1 milhão de residentes a permanecerem fechadas para o aprendizado presencial até pelo menos 1º de outubro.

Mas o governador Larry Hogan discordou da orientação e emitiu uma ordem de emergência, garantindo que as escolas e os sistemas escolares locais mantenham a autoridade primária para determinar inicialmente quando reabrir com segurança suas instalações para instruções presenciais com base em orientações de saúde pública.

Publicidade

“As escolas particulares merecem a mesma oportunidade e flexibilidade para tomar decisões de reabertura com base nas diretrizes de saúde pública. O mandato de fechamento geral imposto pelo Condado de Montgomery era excessivamente amplo e inconsistente com os poderes que deveriam ser delegados ao agente de saúde do condado”, sustentou o governador.

“Para ficar claro, a recuperação de Maryland continua baseada em uma abordagem flexível e baseada na comunidade que segue a ciência, não a política. Desde que as escolas desenvolvam planos seguros e detalhados que sigam as diretrizes do CDC e do estado, elas deverão ter o poder de fazer o melhor para sua comunidade”, completou Hogan, salientando que os departamentos de saúde locais continuam a ter autoridade para fechar qualquer instalação individual considerada insegura.

DC

O vice-prefeito de Educação de DC, Paul Kihn, informou que as escolas particulares têm flexibilidade para fazer suas próprias determinações sobre a viabilidade da instrução presencial. “Para isso, elas receberam orientações da DC Health e OSSE (Escritório do Superintendente Estadual de Educação) sobre como fazê-lo com segurança em escalas menores”, declarou.

A prefeita de Washington, Muriel Bowser, pareceu contradizer essa afirmação em uma entrevista coletiva na quarta-feira (5), quando perguntada se ela tem autoridade para forçar escolas particulares a seguir o plano do sistema escolar do Distrito e manter o ensino a distância no início do ano letivo.

Conforme a prefeita, no caso de uma emergência de saúde pública, ela o fará. “Como fizemos em março, podemos fechar qualquer número de empresas ou organizações”, destacou. Muriel Bowser estendeu a emergência de saúde pública de DC até 9 de outubro.

(Com informações de Fox 5, WJLA e WUSA)

Publicidade
CCA idiomas