Antes de fechar as portas em março devido ao coronavírus, o Museu Internacional do Espião no L’Enfant Plaza incentivava os visitantes a testar suas habilidades furtivas, rastejando o mais silenciosamente possível através de um duto de ar no teto. Mas quando a pandemia chegou à região de DC, os funcionários do museu sabiam que essa atividade não seria mais prudente.

Esse continua a ser o caso, mesmo depois que o museu começou a receber visitantes novamente em 22 de junho, durante a segunda fase de reaberturas na cidade. “Não podíamos ter pessoas em um espaço pequeno, rastejando, tocando em tudo”, explica Jackie Eyl, diretora de educação de jovens do Museu do Espião.

Adaptando-se ao desafio, o museu pegou um medidor de som dentro do duto de ar e o colocou debaixo do chão, sob uma tela sobre ninjas. “Agora, incentivamos as pessoas a praticar seus passeios ninjas”, conta Eyl. “Mesmo não subindo no teto, você ainda pratica sua furtividade”, comenta.

A fase dois permite que os museus de DC reabram com limites de capacidade e regras de distanciamento social, mas visitas guiadas e grandes grupos turísticos continuam proibidos. O Museu do Espião e o Museu da Bíblia, ambas instituições privadas, foram os primeiros museus da cidade a reabrir.

Outros museus locais, incluindo aqueles do vasto portfólio do Smithsonian, têm sido mais lentos em suas abordagens, continuando a pesar medidas de segurança e planos de longo prazo. O Distrito ainda deve definir as métricas específicas que serão usadas para determinar se deve avançar para a terceira fase de sua reabertura, o que permitiria aos museus retomarem passeios limitados e eventos maiores.

Smithsonian

Os quase 20 museus do Smithsonian ainda não anunciaram suas datas de reabertura, embora Lonnie Bunch, a secretária da instituição, tenha convocado duas forças-tarefa para explorar opções, informa a porta-voz do Smithsonian, Alise Fisher.

Uma força-tarefa está focada em uma reabertura gradual, enquanto a outra está focada em como o Smithsonian geralmente navegará no futuro. Duas das atrações mais populares – o Zoológico Nacional e o Steven F. Udvar-Hazy Center, do Museu Nacional do Ar e Espaço, que está localizado no Condado de Fairfax, na Virginia – estão planejando ativamente sua reabertura.

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes

Mulheres nas Artes

O Museu do Espião não está sozinho ao fazer mudanças. Susan Fisher Sterling, diretora executiva do Museu Nacional das Mulheres nas Artes, diz que não acha que as excursões em seu museu serão possíveis até o outono, observando que o museu planeja usar a tecnologia para que os docentes possam guiar pequenos grupos remotamente.

O museu também quer implementar um sistema de ingressos com entrada programada para facilitar as visitas. “Tivemos que esperar na fila”, relata, sobre a aquisição da tecnologia necessária para o sistema. “Apesar de estarmos trabalhando com uma ótima empresa e recebendo ótimos serviços, há apenas tantas horas no dia”, pondera.

ArtecHouse

Mesmo antes da pandemia, alguns espaços artísticos de DC restringiam o número de convidados que eles permitiam ao mesmo tempo. O ArtecHouse, uma galeria interativa situada no porão de um prédio no sudoeste, é um desses espaços, que reabre nesta quinta-feira (9), trazendo de volta sua instalação de primavera com tema de flor de cerejeira.

A galeria limitará as visitas para facilitar a limpeza entre as sessões e exigirá que os visitantes usem máscaras, de acordo com a diretora-gerente, Tatiana Pastukhova. Ela ressalta que o ArtecHouse está acostumado à tecnologia sem toque: para a exibição da flor de cerejeira, os convidados acenam com os braços em frente a telas grandes e brilhantes para fazer as flores virtuais se abrirem e os flocos de neve virtuais congelarem e derreterem. Ela diz que a galeria pretende “continuar aproveitando” essa tecnologia.

A decisão de manter a exposição anterior é motivada por temas e finanças, segundo a diretora. A galeria investiu recursos significativos na exposição antes do fechamento da primavera na cidade e foi obrigada a fechar dois dias após a estreia. A pandemia interrompeu a estação das flores de cerejeira em 2020 – as autoridades da cidade até barraram o tráfego em torno da Bacia das Marés para reduzir o número de pessoas que visitam as cerejeiras.

(Com informações de DCist)

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes