O governador Ralph Northam emitiu uma ordem executiva autorizando a Autoridade de Controle de Bebidas Alcoólicas da Virgínia (ABC) a adiar taxas anuais por licenças e autorizações que deverão ser renovadas até junho. A medida também permite que estabelecimentos com licenças para a venda de coquetéis, como restaurantes e destilarias, comercializem bebidas alcoólicas nos pedidos de comida para viagem ou entrega.

De acordo com a diretiva, a Virginia ABC adiará a cobrança das taxas de renovação de licença por 90 dias a partir da data de vencimento original, para estabelecimentos com licenças expirando em março, abril, maio e junho. Quaisquer penalidades que normalmente estariam associadas ao atraso no pagamento dessas taxas serão dispensadas.

Segundo o governo, esse adiamento permitirá que mais de 6 mil empresas licenciadas de varejo, atacado e manufatura reabram e conduzam os negócios mais rapidamente após a crise. Cerca de US$ 4,5 milhões em pagamentos serão diferidos. Se uma empresa perder sua licença, ela precisará voltar ao processo de inscrição, que leva pelo menos 30 dias.

“Essa crise de saúde sem precedentes teve um tremendo impacto sobre as empresas do estado e os restaurantes foram atingidos especialmente. Permitir que restaurantes e destilarias permaneçam abertos, para vender bebidas com pedidos de entrega, os ajudará a aumentar seus fluxos de receita, para que possam continuar atendendo seus clientes e empregando. Essas ações darão aos estabelecimentos maior flexibilidade para operar enquanto suas salas de jantar estiverem fechadas”, pondera o governador.

Publicidade

Muitos restaurantes da Virgínia passaram de estabelecimentos gastronômicos para uma combinação de pegue e leve, entrega ou drive-thru improvisado, em um esforço para manter as operações em meio à pandemia de Covid-19 em andamento.

Margem de lucro

Esses estabelecimentos costumam contar com a venda de álcool para obter margens de lucro maiores, e esse privilégio temporário apoiará restaurantes que perderam um fluxo substancial de receita com a venda de bebidas mistas e destilarias que não puderam fornecer seus produtos ao público e sofreram perdas financeiras.

“Esses adiamentos permitirão que as empresas continuem operando sem se preocupar em escolher entre manter um funcionário ou renovar uma licença. Sem esse alívio, algumas empresas fechadas estariam na posição de pagar uma taxa por uma licença que não podem exercer ou correr o risco de perder sua licença. A Virginia ABC está comprometida em apoiar varejistas, restaurantes e seus funcionários durante esta pandemia”, afirma Travis Hill, CEO da Virginia ABC.

Publicidade