O governador Ralph Northam anunciou nessa terça-feira (22) um plano de refinanciamento do ensino superior que economizará para as faculdades e universidades públicas da Virgínia mais de US$ 300 milhões nos próximos dois anos. Serão aplicadas taxas menores de juros ao refinanciar títulos emitidos pelo Conselho do Tesouro da Virgínia (TBV) e pela Virginia College Building Authority (VCBA), que as instituições de ensino superior usam para projetos de capital.

“A pandemia de Covid-19 continua a ter um impacto tremendo no ensino superior, incluindo a saúde fiscal de nossas faculdades e universidades. Famílias em todo o país estão aproveitando as taxas de juros baixas para refinanciar as hipotecas de suas casas, e queremos que nossas instituições públicas também se beneficiem”, afirma Northam.

“O refinanciamento irá liberar milhões de dólares em economias, permitindo que nossas faculdades e universidades façam investimentos críticos, atendam às necessidades dos alunos da Virgínia e continuem oferecendo uma educação de classe mundial”, pontua.

A Virgínia conseguiu evitar cortes no ensino superior durante a pandemia. O estado tem trabalhado muito para manter sua avaliação de títulos AAA, o que permitiu ser elegível para essas taxas de juros favoráveis.

Publicidade

“Nossas instituições públicas de ensino superior são essenciais para o sucesso da Virgínia e sabemos que estão sofrendo agora. Permitir que refinanciem parte de suas dívidas é uma forma inovadora de economizar dinheiro quando mais precisam, e estou ansioso para apoiar a parte legislativa desta proposta na próxima sessão”, diz a presidente do Comitê de Finanças do Senado estadual, Janet Howell.

Muitas faculdades e universidades da Virgínia viram um declínio na receita tradicionalmente usada para pagamentos de títulos. Essas instituições também estão enfrentando incertezas com relação ao aprendizado presencial, com muitas dúvidas sobre quando ou como os alunos retornarão ao campus.

De acordo com o plano do governador, as instituições não farão nenhum pagamento principal de seus títulos VCBA até o ano fiscal de 2023. A reestruturação proposta também estenderia os planos de pagamento das instituições por dois anos além do cronograma atual, tanto para títulos VCBA quanto para TBV.

“Como administradores das finanças do estado, estamos sempre buscando soluções criativas para questões financeiras. Ajudar faculdades e universidades públicas a reestruturar suas obrigações de dívida permite que concentrem seus recursos nas necessidades urgentes que enfrentam agora como resultado da pandemia”, considera o presidente do Comitê de Apropriações da Câmara, Luke Torian.

Publicidade