Enquanto a fase três do plano de recuperação está em andamento, centenas de empresas do norte da Virgínia continuam fechadas por várias razões, incluindo temores sobre uma segunda onda do coronavírus. Além disso, muitos ainda estão se recuperando da perda financeira causada pelas restrições impostas durante a ordem de permanência em casa.

Das 1,2 mil empresas do condado de Prince William, 300 permanecem fechadas, mesmo que estejam autorizadas a funcionar. Existem vários fatores que afetam a reabertura, incluindo despejo, fundos limitados ou inexistentes para gerar folha de pagamento e receios sobre o ressurgimento da doença.

“Muitas empresas ainda estão fechadas e acho que muitas são cadeias corporativas que não necessariamente têm um plano ou são grandes o suficiente para criar um plano”, diz Andrew Elawar, proprietário da Chrysella Fine Jewelry and Diamonds. Ele conta que os negócios estavam lentos no começo da reabertura, mas estão começando a melhorar.

Outro empresário da região comenta que o restaurante dele está passando por uma queda de receita de US$ 40 mil a US$ 50 mil por mês. De fato, a Câmara de Comércio do Condado de Prince William confirma que os setores de restaurantes e hospitalidade são os mais afetados e enfrentam os maiores desafios.

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes

“As pessoas estão preocupadas com o que está acontecendo com a Covid-19, que é completamente compreensível, pois estamos vendo um ressurgimento”, declara Ross Snare, diretor sênior de Operações e Assuntos Governamentais da Câmara de Comércio do condado.

No momento, as empresas que sobrevivem e prosperam são aquelas capazes de se adaptar. As estimativas apontam que uma em cada cinco empresas não sobreviverá à pandemia.

(Com informações de Fox 5)

Publicidade
Curso de inglês