O diretor financeiro de DC estima que o desemprego pode aumentar drasticamente no distrito, se o coronavírus mantiver os restaurantes operando com capacidade limitada nos próximos meses. Jeffrey DeWitt falou perante o Conselho da Cidade nessa terça-feira (17), abordando o assunto.

Ele disse que setores como os de alimentação e hotelaria, diretamente impactados pelas restrições impostas para responder à pandemia do vírus, representam cerca de metade da receita de impostos sobre vendas em DC anualmente.

Os restaurantes têm sofrido financeiramente desde que o Distrito ordenou que proibissem o jantar como medida para impedir a propagação do vírus. DeWitt acrescentou que os hotéis da cidade estão atualmente operando com aproximadamente 40% de ocupação.

De acordo com ele, se os restaurantes continuarem a acumular perdas, e os hotéis a fazer a mesma quantidade de negócios até junho, DC poderá enfrentar algumas decisões financeiras importantes. “Se isso acontecer, precisaremos cortar US$ 500 milhões em nossos gastos em 2020”, projetou.

Publicidade

De acordo com DeWitt, quase 14% dos trabalhadores do Distrito estão em restaurantes, hotéis ou setores relacionados. “Atualmente, estamos em torno de 4,9% em uma situação de desemprego. Se houver uma grande quantidade de demissões nesses setores específicos, podemos nos aproximar de 15 a 20% de desemprego temporariamente”, calculou.

No entanto, DeWitt considera que DC está melhor posicionada do que a maioria das grandes cidades americanas para lidar com a situação. “Não estamos com problemas financeiros. Estamos começando na melhor forma financeira da nossa história. Temos reservas muito fortes. Temos um fundo fiduciário de seguro-desemprego muito forte, que está em altos níveis”.

Ele acrescentou que a decisão do Conselho de DC de aprovar uma lei de emergência para tratar do coronavírus foi um passo na direção certa, mas recomendou cautela nos meses seguintes.

(Com informações de WUSA)

Publicidade