Os primeiros cheques federais aos americanos podem ser de US$ 3 mil para uma família de quatro pessoas, segundo a proposta da Casa Branca de liberar US$ 1 trilhão para sustentar a população e a economia dos Estados Unidos em meio à pandemia de coronavírus.

O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, disse nesta quinta-feira (19) que os “cheques pelo correio” seriam depositados diretamente nas contas das pessoas, de acordo com o plano que o Governo Trump propôs ao Congresso.

Os pagamentos seriam de US$ 1 mil por adulto e US$ 500 por criança, para que uma família de dois pais e dois filhos recebesse US$ 3 mil, detalhou Mnuchin. O objetivo é conseguir esse dinheiro em três semanas, segundo ele. “Isso é muito dinheiro para os americanos trabalhadores”, considera.

De acordo com o secretário, essas famílias receberiam outros US$ 3 mil seis semanas depois, se a emergência nacional ainda existir. Autoridades disseram anteriormente que o dinheiro deve ser alocado por nível de renda, para excluir os mais ricos.

Pacote

O Congresso está correndo para compilar em questão de dias o pacote abrangente de resgate econômico, no pior momento para o país desde a recessão e a crise financeira de 2008.

Os detalhes do plano ainda estão sendo elaborados – e certamente crescerão além de US$ 1 trilhão, na avaliação dos parlamentares –, mas sua peça central é dedicar US$ 500 bilhões para começar a emitir pagamentos diretos aos americanos, a partir do início do próximo mês.

Publicidade
Curso de inglês

Os pagamentos diretos iriam apenas para os cidadãos dos EUA e seriam “diferenciados com base no nível de renda e no tamanho da família”. Os dois pagamentos seriam idênticos, com a segunda etapa começando em 18 de maio.

O pacote emergente também canalizaria dinheiro para as empresas, para ajudar a manter os trabalhadores na folha de pagamento, pois setores ampliados da economia de US$ 21 trilhões nos EUA praticamente fecharam.

Provisões

Também é esperado que inclua provisões abrangentes de saúde. O presidente Donald Trump invocou autoridade em tempo de guerra para aumentar a produção de suprimentos médicos vitais e erguer hospitais de campo temporários sob a Lei de Produção de Defesa.

“Não há um dia a perder”, manifestou-se a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, em comunicado nesta quinta-feira. “Precisamos colocar mais testes, mais equipamentos de proteção e mais ventiladores nas mãos de nossos funcionários da linha de frente imediatamente”, pontuou.

Trump já assinou uma lei de mais de US$ 100 bilhões para aumentar os testes para o coronavírus e garantir licença médica paga para milhões de trabalhadores atingidos por ele.

(Com informações da Associated Press)

Publicidade
Curso de inglês