O governador da Virginia, Ralph Northam, anunciou nessa quinta-feira (11) que a arrecadação total de receita do Fundo Geral do estado caiu 20,6% em maio, o que é um pouco melhor do que o esperado. Isso se deve principalmente ao adiamento da data de vencimento do imposto individual para 1º de junho e aos impactos da pandemia de Covid-19 na retenção na folha de pagamento e nas vendas no varejo.

“As restrições que adotamos para proteger a saúde e a segurança dos virginianos durante essa pandemia resultaram em perda de empregos e de renda, e nossas receitas estatais refletem isso”, pondera Northam.

“Quando nossa economia começar lentamente a se abrir, continuaremos monitorando de perto as cobranças de receita e tomando medidas responsáveis ​​para orientar nossa recuperação econômica”, afirma.

Normalmente, maio é um mês significativo para a arrecadação. Além das cobranças regulares de impostos retidos na fonte e nas vendas, os pagamentos estimados e finais para pessoas físicas vencem em 1º de maio.

Este ano, o governador autorizou o adiamento para 1º de junho de qualquer pagamento de imposto de renda individual e corporativo devido entre 1º de abril e 1º de junho de 2020. A prorrogação se aplica aos pagamentos finais e prorrogações do ano tributável de 2019 e ao primeiro pagamento estimado para o ano tributável de 2020. Portanto, os recebimentos de junho serão necessários para avaliar adequadamente a receita total do exercício fiscal.

Publicidade

No acumulado do ano, as arrecadações totais de receita caíram 1,2%, acompanhando a previsão anual de crescimento de 3,1%. Para atingir a previsão de receita oficial atual, as cobranças de junho devem ser de US$ 3,3 bilhões, em comparação com os US$ 2,4 bilhões coletados em junho do ano passado.

“Embora houvesse dois dias a menos de depósito e uma ampla redução no número de empresas pagando devido ao fechamento de negócios, somos encorajados pela resiliência subjacente da economia da Virgínia”, declara o secretário de Finanças, Aubrey Layne. “Esse desempenho é um pouco melhor do que o previsto e está alinhado com nossas projeções de receita atualizadas”, ressalta.

Redução

As cobranças de impostos retidos na folha de pagamento caíram 13% no mês passado. As cobranças de impostos sobre vendas e uso, refletindo as vendas de abril, caíram 12,5% em maio. Esse é o reflexo de um mês inteiro de redução nas vendas devido a vários fechamentos de lojas durante a pandemia de coronavírus.

No acumulado do ano, a arrecadação de impostos retidos na folha de pagamento – 62% da receita do Fundo Geral – aumentou 3,1%, acompanhando a previsão anual de crescimento de 4,7%. As cobranças de impostos sobre vendas avançaram 5,4%, também acompanhando a previsão anual de crescimento de 7,4%.

Publicidade