O homem conhecido como “Estuprador do Rio Potomac” está preso, depois de quase 30 anos fugindo, informou a polícia nessa quinta-feira (14). Giles Warrick, 60 anos, de Conway, Carolina do Sul, foi preso na terça-feira (12) e acusado de uma série de ataques que começaram em 1991 e aparentemente culminaram com o estupro e assassinato de uma mulher em Georgetown em 1998.

Warrick está detido sem fiança no Condado de Horry, Carolina do Sul, mas deve ser transferido para Maryland. O FBI e a polícia do Condado de Montgomery e de DC vincularam dez ataques nos anos de 1990 à mesma pessoa – mas, até recentemente, as autoridades foram frustradas em sua busca.

Nessa quinta-feira, o chefe de polícia do Condado de Montgomery, Marcus Jones, creditou a prisão às evidências reunidas no relativamente novo campo da genealogia genética, que permitiu aos investigadores comparar o perfil de DNA do estuprador e compará-lo com perfis em bancos de dados públicos.

Isso lhes deu a oportunidade de identificar possíveis parentes do agressor e, em seguida, “conversar com diferentes membros da família para ver se conseguiam estabelecer uma ligação”, descreveu Jones. Segundo ele, a unidade de casos frios de seu departamento, bem como o policial Steven Smugeresky, fizeram o trabalho necessário. A Parabon, em Reston, na Virgínia, também estava envolvida em ajudar a polícia a rastrear informações.

 

Ataques

 

O primeiro ataque atribuído a Warrick ocorreu em maio de 1991, quando uma mulher de 32 anos foi estuprada em casa, em Gaithersburg, Maryland. Quatro meses depois, uma mulher de 18 anos foi atacada em uma casa em Germantown, onde trabalhava como babá.

Oito ataques registrados no Condado de Montgomery entre 1991 e 1997 estão ligados a Warrick; todos envolviam o suspeito perseguindo suas vítimas e atacando-as dentro de uma casa. Sete desses ataques ocorreram ao longo do corredor da Interestadual 270, estendendo-se de Bethesda a Germantown.

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes

A polícia de DC disse que o mesmo homem também é responsável por dois ataques, incluindo o estupro e assassinato de Christine Mirzayan, uma estagiária de 29 anos da Academia Nacional de Ciências, em 1998.

Uma testemunha que viu o suspeito sair de uma área arborizada ao longo da Canal Road minutos após o ataque foi capaz de fornecer à polícia as informações necessárias para um retrato falado, mas a partir daí, a investigação parou.

 

Exames de DNA

 

Em 2012, a polícia de DC usou o DNA para vincular um ataque de 1996 no bairro de Palisades ao homem, que na época era conhecido como Estuprador do Rio Potomac.

Jones acrescentou que Warrick se mudou para a Carolina do Sul apenas há relativamente pouco tempo e viveu na área de DC a maior parte do tempo desde os ataques.

Ele possuía uma empresa de paisagismo durante parte do período em que os ataques aconteciam e também trabalhava como contratado para uma empresa de serviços públicos local, disse Jones. “Ele tinha a capacidade de se movimentar bastante”. A polícia ainda investiga se o acusado cometeu outros crimes.

Quase 30 anos após os crimes, estuprador é preso 2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Com informações de WTop)

Publicidade
CCA idiomas