Dois funcionários da Disney estão entre as 17 pessoas detidas em uma operação iniciada em outubro contra a pornografia infantil na região central da Flórida. Os acusados são Brett Kinney, 40 anos, de Lake Alfred, que trabalhava como gerente de experiência na Disney World, e Donald Durr Jr., 52 anos, de Davenport, que trabalhava como zelador na Walt Disney World Resorts.

Kinney foi preso em meados de outubro por suspeita de possuir pornografia infantil. Ele disse às autoridades que estava vendo pornografia infantil há 22 anos e sabia que era errado, ilegal e imoral, mas não conseguia se conter e precisava de ajuda.

A polícia disse que Durr se descreveu como “um pervertido, mas não um monstro”. Ele tinha um tablet eletrônico que continha três imagens de pornografia infantil, segundo as autoridades.

Em resposta às prisões, a Disney informou que Kinney não trabalha mais para a empresa e Durr foi colocado em licença não remunerada enquanto a polícia prossegue com as investigações.

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes

A operação também prendeu em flagrante um homem que tentava encontrar uma criança para troca de favores sexuais, disse o xerife do Condado de Polk, Grady Judd, em um comunicado.

Dois outros homens estavam tentando obter fotos nuas de duas adolescentes diferentes usando o Snapchat e o Facebook. Outro homem disse que, se ele não se voltasse para a pornografia infantil, possivelmente iria agredir sexualmente crianças.

Também entre os presos está William Hage, 76 anos, ou Lakeland, que era diretor assistente do ensino médio antes de se aposentar. Os detidos têm entre 19 a 77 anos e vão responder criminalmente por seus atos. “As pessoas presas durante esta operação atacam os mais inocentes e vulneráveis ​​entre nós – nossos filhos”, ressaltou o xerife no comunicado. “Cada uma dessas prisões retirou o perigo de nossas ruas e da internet”.

 

(Com informações da NBC Miami)

 

 

 

 

 

Publicidade