Um homem identificado pelos registros do tribunal como um criminoso sexual tentou sequestrar dois alunos da Rocketship Rise Academy no sudeste de DC em 11 de outubro. Os pais só foram informados sobre o caso nesta semana, segundo a escola, porque o caso estava sob investigação policial. O acusado está preso, aguardando audiência na Justiça.

Conforme o relatório da polícia e os documentos judiciais, Antonio Burnside, de 30 anos, seguiu uma mãe dentro da escola charter enquanto um programa extraclasse estava acontecendo, jogou basquete com uma criança por pelo menos 15 minutos e convenceu o garoto e seu irmão a segui-lo para fora da escola.

Um funcionário da escola seguiu quase imediatamente Burnside e os meninos e os separou antes que o suspeito fosse preso. Os estudantes não ficaram feridos. Burnside disse repetidamente aos funcionários que ele era o pai de uma das crianças e parecia levar o menino a acreditar nele, a fim de persuadi-lo e a um irmão.

Os registros do tribunal mostram que Burnside é um criminoso sexual, como resultado de uma tentativa de caso de sequestro envolvendo uma criança em 2018. As acusações nesse caso foram rebaixadas por abuso sexual de menor em um acordo judicial.

 

Resposta

 

“Como resultado desse incidente, estamos revisando os procedimentos de segurança de nosso prestador de cuidados posteriores e reavaliando nossa parceria com eles. Este incidente ocorreu quando a escola não estava em sessão durante o Dia da Conferência dos Pais”, disse a escola em um comunicado.

Publicidade

“No futuro, também aplicaremos verificações obrigatórias de identificação em todos os momentos para qualquer adulto que entre no nosso campus – inclusive quando a escola não estiver em sessão. A segurança de nossos alunos é nossa prioridade número um na Rocketship Rise Academy”, assegurou a instituição.

O programa depois da escola na Rocketship Rise Academy é administrado pela Springboard Education. É a mesma empresa demitida pelas Escolas Públicas de DC neste ano letivo, após um incidente de abuso sexual em Capitol Hill Montessori, em Logan, em junho. O incidente revelou que a Springboard não podia fornecer a documentação que seus funcionários haviam passado por verificações de antecedentes.

“Como resultado desse incidente, começamos a revisar todos os nossos procedimentos de segurança, incluindo nossa parceria com a Rocketship e seu papel em ajudar a manter um espaço seguro enquanto os estudantes estão sob nossos cuidados. Os alunos também serão lembrados regularmente do que fazer se um estranho for buscá-los”, afirmou a Springboard em nota.

 

(Com informações de Fox 5)

 

 

Publicidade
Curso de inglês