O técnico de bombeiros de DC, Alex Graham, morreu no domingo (27), depois de sofrer uma lesão cardíaca na última quinta-feira (24). Segundo o chefe dos bombeiros de DC, Gregory Dean, a emergência aconteceu na Academia de Treinamento. O homem de 48 anos foi levado às pressas para o Hospital George Washington University, onde acabou falecendo.

O óbito chama a atenção para a recorrência de problemas cardíacos entre os socorristas. Segundo o presidente da Associação de Bombeiros de DC, Dabney Hudson, as últimas três mortes de linha de serviço foram relacionadas ao coração. Ele lembra que é um trabalho estressante, pois os bombeiros precisam lidar com toneladas de equipamento e entrar em ambientes perigosos.

“Estamos começando a ver que há tendências e mortes relacionadas ao coração em situações de todo tipo de operação. É a principal causa de mortes de bombeiros”, afirma Hudson.

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes

Segundo a Associação Nacional de Proteção contra Incêndios (NFPA), 44% das mortes de bombeiros são causadas por esforço excessivo, estresse ou lesões. Dezessete por cento das mortes de bombeiros ocorrem durante o treinamento, de acordo com a NFPA.

Conforme Hudson, isso não significa que algo ocorrido durante o treinamento os tenha matado. “Você precisa passar de 0 a 100 para tomar decisões em frações de segundo e isso tem um efeito cumulativo no corpo”, pondera.

 

(Com informações de WUSA)

 

 

 

 

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes