As autoridades de saúde dos Estados Unidos querem que as mulheres que realizem implantes mamários recebam avisos mais fortes e mais detalhes sobre os possíveis riscos e complicações. A Food and Drug Administration (FDA) anunciou que os fabricantes deverão adicionar um aviso destacado por uma caixa – o tipo mais grave – às informações fornecidas a quem vai colocar as próteses de silicone.

A agência também recomenda que os pacientes preencham uma lista de verificação para garantir que compreendem todos os possíveis efeitos colaterais dos implantes, como cicatrizes, dores, rupturas e até uma forma rara de câncer.

“Ouvimos muitas mulheres dizer que não estão totalmente informadas sobre os riscos ao considerar implantes mamários”, disse a agência em comunicado detalhando as recomendações.

Publicidade
Curso de inglês

A FDA também quer que as empresas expliquem que os implantes mamários geralmente exigem cirurgias repetidas e que não devem ser considerados dispositivos para a vida toda. Cerca de uma em cada cinco mulheres que recebem implantes por razões cosméticas precisam removê-las dentro de oito a dez anos, de acordo com as autoridades de saúde.

A nova proposta é a mais recente tentativa do FDA de gerenciar problemas de segurança com os dispositivos usados ​​principalmente para aumento de mama, o procedimento cirúrgico cosmético mais frequentemente realizado nos EUA. Aproximadamente 400 mil mulheres recebem implantes a cada ano; 100 mil após cirurgia de câncer.

 

(Com informações da Associated Press)

 

 

Publicidade
Curso de inglês