A Câmara aprovou um projeto de lei bipartidário que pode dar status legal e ser um caminho para a cidadania americana para centenas de milhares de imigrantes indocumentados que trabalham no setor agrícola.

Após meses de discussões, a legislação representa um raro momento de acordo bipartidário sobre um dos tópicos mais controversos do governo Trump, passando por uma votação de 260 contra 165 e atraindo 23 republicanos.

Agora, o projeto de lei será analisado pelo Senado. Mas seu sucesso na Câmara sinaliza que uma abordagem fragmentada da reforma da imigração poderia ser viável. Para a advogada de imigração Ingrid Domingues, é uma lei necessária e há chance de passar no Senado.

“Como é uma lei que iria conceder residência a um grupo de imigrantes tecnicamente ‘esquecidos’, mas altamente ‘necessários’ em nossa economia, existe uma chance, pois esse projeto de lei conta com apoio de ambos partidos – só esperamos que esse impeachment não afete o voto no Senado. Não creio, mas nunca se sabe, pois é uma lei que tem tudo para ser bem recebida pelo presidente’, comenta Ingrid.

“Sou grato pela Câmara ter avançado nesse esforço para proteger nossos trabalhadores rurais existentes e promover uma força de trabalho duradoura para a agricultura”, disse o deputado Jimmy Panetta, que liderou as negociações do projeto de lei.

Publicidade

Legalização

O projeto de lei pode legalizar cerca de 325 mil imigrantes que atualmente trabalham na agricultura e que não têm status legal. Ainda é apenas uma fração dos 12 milhões de imigrantes não autorizados que vivem nos EUA e os mais de dois milhões que seriam legalizados sob a “Lei dos Sonhos e Promessas”, aprovada pela Câmara em junho.

Até então, esta lei é o maior esforço de legalização apoiado pelos republicanos no ano. Grupos contrários criticaram a lei como um meio de garantir “mão de obra estrangeira barata” às custas dos trabalhadores americanos – mas os legisladores representam distritos onde a agricultura é uma indústria importante.

O que mudaria

O projeto daria aos trabalhadores rurais ativos na agricultura há pelo menos 180 dias nos últimos dois anos a capacidade de solicitar o status de “trabalhador agrícola certificado”, que pode ser renovado para seis ou cinco anos se continuar trabalhando na agricultura por pelo menos 100 dias por ano.

Também oferece aos agricultores de longo prazo o caminho para um green card, exigindo pelo menos mais quatro anos de experiência no setor e pagamento de uma multa de US$ 1 mil.

 

(Com informações de Gazeta News)

Publicidade