Autoridades do México e dos Estados Unidos retomaram as conversas sobre comércio e imigração na quinta-feira, dia 6, e os mercados vibraram com as informações de que um acordo poderia estar perto, embora ainda não estivesse claro se as promessas do México para conter os fluxos de migração eram suficientes para impedir que avançassem as tarifas sobre produtos mexicanos. 

O presidente norte-americano, Donald Trump, alertou que as tarifas de 5% sobre todas as exportações mexicanas para os Estados Unidos entrariam em vigor na próxima segunda-feira caso o México não aumente os esforços para conter o aumento do fluxo migratório, principalmente de centro-americanos, para a fronteira do país.

“Houve algum movimento da parte deles. Foi encorajador. As discussões irão continuar nos próximos dias”,  Mike Pence, vice-presidente dos Estados Unidos.

Negociações bilaterais em Washington buscam afastar a possibilidade de tarifas, que estremeceu os mercados financeiros do mundo, provocando inclusive a oposição de colegas republicanos sobre o eventual impacto econômico sobre empresas e consumidores dos Estados Unidos. 

Ações norte-americanas e os títulos do Tesouro subiram na quinta-feira diante dos relatos de que os dois lados estavam próximos de um acordo. 

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, disse que o México havia oferecido “mais” na quinta-feira do que na quarta, mas que dependeria de Trump —que volta de uma viagem à Europa nesta sexta-feira— decidir se aquilo era o bastante. 

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes

“Houve algum movimento da parte deles. Foi encorajador”, disse Pence. “As discussões irão continuar nos próximos dias.” 

México amplia ações contra imigração

O México ofereceu o envio de até 6 mil membros de sua Guarda Nacional para fazer a segurança da fronteira sul com a Guatemala, de acordo com duas pessoas familiarizadas com o assunto. 

Em uma sinal de repressão mais ampla, o governo de esquerda do presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, disse ter bloqueado as contas bancárias de 26 pessoas com supostas ligações com o tráfico de pessoas, e também deteve na quarta-feira pelo menos 350 imigrantes atravessando para o México, além de ter prendido dois importantes ativistas de direitos de imigrantes.

Antecipando as eleições 2020, Trump está trabalhando para mostrar progresso em suas promessas de campanha de 2016 de que teria uma postura firme contra a imigração. Apreensões na fronteira dos EUA com o México chegaram a uma máxima histórica em maio.

 

(Com informações de Reuters)

Publicidade