Por menos de US$ 27, o Serviço de Imigração e Alfândega (ICE, na sigla em inglês) obteve acesso ao banco de dados das carteiras de motorista da Carolina do Norte, que ele usou para identificar e localizar imigrantes naquele estado, conforme relatado nessa terça-feira (3) pelo site informativo Quartz.

O acordo para que a Divisão de Operações de Implementação e Remoção do ICE pudesse consultar por um ano inteiro os registros das carteiras de motorista emitidas na Carolina do Norte custou US $ 26,5. Em comparação, custa entre US$ 5 e US$ 7 para o cidadão obter uma cópia do seu registro, de acordo com o meio citado.

Não se sabe se o acordo resultou em prisões ou deportações de migrantes. Mas não é algo novo, embora se saiba muito pouco sobre tais acordos. Segundo o professor e advogado de imigração César Cuauhtémoc García Hernández, consultado pelo Quartz, “o ICE extrai informações dos registros dos motoristas há vários anos”.

Os registros superam outros bancos de dados do governo em dois aspectos cruciais: incluem fotografia e endereço do motorista. Além disso, “alguns estados permitem que imigrantes não autorizados obtenham carteiras de motorista, o que torna esses registros minas de ouro especialmente promissoras para o ICE e alvos problemáticos para os imigrantes”, afirmou Garcia.

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes

Atualmente, 14 estados concederam carteira de motorista a imigrantes indocumentados, incluindo Califórnia e Nova York, onde vive grande parte da população imigrante. E outros estão considerando adotar a medida.

Muitas dessas leis são baseadas em estudos científicos que mostram que o licenciamento de imigrantes sem documentos aumenta a segurança nas estradas e evita acidentes. Até estados como a Flórida e o Texas, que votaram no Partido Republicano, cada vez mais contra a imigração irregular, consideraram conceder esses benefícios.

 

Outros alvos

 

Embora a Carolina do Norte não seja um desses estados, o ICE pode ter aproveitado essas informações para chegar a outros indocumentados. De acordo com um memorando interno citado pelo Quartz, identificar as licenças que foram rejeitadas por não serem capazes de provar residência “poderia fornecer uma base significativa de estrangeiros que poderiam ser auscultados para identificar pessoas com condenações criminais”.

 

(Com informações de Quartz e Telemundo)

 

 

Publicidade
CCA idiomas