O presidente Donald Trump promoveu mudanças na política de asilo, como a cobrança de tarifas daqueles que pedem refúgio humanitário nos Estados Unidos. O endurecimento nas regras ainda impede que qualquer pessoa que cruze clandestinamente a fronteira obtenha permissão de trabalho.

Os tribunais também terão o limite de 180 dias para julgarem casos de asilo, o que atualmente pode levar vários anos. A ordem, incluída num memorando presidencial, foi emitida enquanto o presidente busca mobilizar a base eleitoral dele, focalizando na imigração clandestina antes da campanha de reeleição em 2020.

“Se os democratas não nos derem os votos para mudar as nossas leis de imigração fracas, ineficazes e perigosas, nós devemos lutar duro por esses votos na Eleição de 2020!”, postou Trump no Twitter, após a Casa Branca ter publicado a ordem dele.

Apesar do duro combate à imigração ilegal, iniciado junto com seu mandato na Casa Branca, o presidente norte-americano não conseguiu conter a onda de imigrantes, que chegam ao país através da fronteira com o México.

Publicidade
CCA idiomas

Segundo estimativas oficiais, mais de 103 mil imigrantes cruzaram a divisa entre os dois países em março, o nível mais alto em mais de uma década. Aproximadamente, 60% eram pais naturais da América Central viajando com filhos que, após chegada ao solo dos EUA, possuem o direito legal de pedir asilo político.

Adultos que chegam com crianças são agendados para comparecer à audiência e são liberados no país. Eles geralmente se reúnem a parentes e trabalham enquanto os casos estão pendentes.

(Com informações de Brazilian Voice)

Publicidade