Pode haver algum alívio temporário no horizonte para os moradores de baixa renda ​​de DC que usam transporte público, já que o conselho da Metro avalia uma proposta para reduzir tarifas ou mesmo fornecer transporte gratuito.

Em um relatório chamado “DC Low-Fare Pilot” divulgado nesta semana, o Comitê de Finanças e Capital da Metro argumenta que a redução do custo do trânsito para os passageiros que recebem benefícios governamentais existentes aumentará sua mobilidade e qualidade de vida.

Se aprovado, o programa piloto para até 2,5 mil residentes durará de seis a nove meses. “As famílias de baixa renda são as que mais sofrem com os custos do uso do transporte público, as que mais renunciam ao uso do transporte por causa do custo e as menos propensas a ter opções alternativas de viagem”, explica o documento.

A Metro já oferece alguns descontos. Idosos e pessoas com deficiência pagam US$ 1 por rotas regulares do Metrobus, em vez dos US$ 2 padrão. E os estudantes recebem caronas gratuitas no Metrobus, DC Circulator e Metrorail, dentro do Distrito.

Publicidade

“Um produto de tarifa reduzida para residentes do distrito de baixa renda tornaria o trânsito mais acessível e complementaria os descontos existentes na Metro para estudantes, idosos e pessoas com deficiência”, disse Paul Wiedefeld, gerente geral e CEO da Metro, em um comunicado.

“Desde os primeiros estágios, a Metro apoiou o pedido de subsídio do The Lab @ DC para iniciar esse programa e, enquanto aguarda a aprovação da Diretoria, estamos prontos para ajudar a expandir o acesso a mais membros da nossa comunidade”, completou.

Enquanto as tarifas da Metrobus são constantes – US $ 2 para rotas regulares e US$ 4,25 para as tarifas expressas – o metrô varia de acordo com a hora do dia e a distância entre as estações.

 

(Com informações de WAMU)

 

 

 

Publicidade