Uma celebração que honra os pais e celebra a paternidade, os laços paternos e a influência dos pais na sociedade. O Dia dos Pais é comemorado no terceiro domingo de junho nos Estados Unidos e a data do calendário americano foi incorporada por aqueles que escolheram viver e trabalhar em solo norte-americano, ainda que não coincida com as celebrações do país de origem.

“Comemoramos o Dia dos Pais em junho e em agosto, afinal, eu mereço”, Luiz Alexandre Santos

No Brasil, por exemplo, a data é celebrada no segundo domingo de agosto. “Comemoramos o Dia dos Pais em junho e em agosto, afinal, eu mereço”, diverte-se Luiz Alexandre Santos, que é natural do Rio de Janeiro e mora em Sterling.

Ele relata que no Brasil era gerente de uma casa de eventos, mas resolveu imigrar por causa da violência e da corrupção, problemas para os quais não vê uma solução imediata. Em meio às dúvidas de uma vida em outro país, ele tinha uma certeza: a família teria que ir junto. “Minha esposa e filhas estão comigo. Não ficaria sem elas”, justifica Santos.

A mudança de endereço se refletiu também na profissão. Atualmente, o brasileiro trabalha como motorista do Lyft e assim consegue conciliar o tempo em família com as exigências do trabalho.

Saudades

Há dois anos e meio vivendo nos Estados Unidos, Mauro Sergio de Carvalho Silva Pinto, pai de um adolescente de 15 anos e de uma menina de dez, conta que mantém sempre contato com o pai, que está no Brasil, mas em datas especiais como a deste domingo a saudade fica maior.

“No Brasil sempre tivemos a tradição de reunir a família para celebrar o Dia dos Pais. Mesmo estando longe, mantemos a tradição e, depois do almoço tradicional, ligamos para parabenizar quem está lá”, afirma.

Publicidade
Curso Design de Cobrancelhas

Sempre ligamos e mantemos contato. Mas nessas datas, como apenas eu estou aqui, acabo recebendo todo esse carinho, por mim e por ele”, Mauro Sergio de Carvalho Silva Pinto.

O pai de Mauro, Jorge Tavares Pinto, aos 70 anos, já passou dois Dias dos Pais apenas ao lado da irmã de Mauro. Mesmo assim, não deixa de receber o carinho do filho e dos netos. “Sempre ligamos e mantemos contato. Mas nessas datas, como apenas eu estou aqui, acabo recebendo todo esse carinho, por mim e por ele”, brinca Mauro sobre a reação dos filhos.

Pai de primeira viagem

Brasileiros celebram o Dia dos Pais nos Estados Unidos 2

José Aloísio Santos Borges, ao lado da esposa Andressa e do filho Lorenzo.

Quem comemora o Dia dos Pais pela primeira vez é José Aloísio Santos Borges, que vive nos Estados Unidos há 11 anos. Na maior parte desse tempo, ele dividiu sua rotina apenas com a esposa, Andressa da Rosa Teixeira, mas tudo mudou há cerca de um ano e meio, quando descobriram que a família iria aumentar.

“Nossa família ficou muito feliz. A emoção tomou conta”, relembra ele, ao mencionar a ocasião em que a novidade foi compartilhada com os familiares que vivem no Brasil. Seu filho Lorenzo nasceu há oito meses, e desde então a vida do jovem casal mudou. “Ele é tudo para mim. Ser pai é a melhor experiência que eu tive na minha vida”, conta emocionado. “É o amor que eu nunca havia sentido antes”, completa.

Para Borges, a distância acaba sendo uma barreira entre o pequeno Lorenzo e o resto família, que vive no Brasil. “É um pouco ruim, pois queria que todos conhecessem o Lorenzo”, lamenta, mas, mesmo com a distância, ele e a família irão celebrar o Dia dos Pais nos Estados Unidos, neste domingo, e no Brasil, onde se comemora apenas em agosto.

Tradição

A tradição de comemorar o Dia dos Pais nos Estados Unidos foi iniciada a partir de um serviço memorial realizado por um grande grupo de homens que morreram em um acidente de mineração em Monongah, Virgínia Ocidental, em 1907. Foi proposto pela primeira vez por Sonora Dodd de Spokane, Washington, em 1909. Atualmente é celebrado anualmente, no terceiro domingo de junho.

 

(Com a colaboração de Andréia Limas)

 

Publicidade