Da sala de aula para Houston, nos Estados Unidos. A cidade americana vai receber milhares de estudantes dos ensinos fundamental, médio e superior de mais de 70 países, entre 17 e 20 de abril. Trata-se do Campeonato Mundial de Robótica, realizado com apoio de grandes empresas como a Qualcomm, Google, Apple, LEGO e Boeing, além da parceria com a Agência Espacial dos EUA (NASA). O Brasil será representado por 101 alunos, em nove equipes, de escolas de São Paulo, Goiás, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

O tema desta temporada são as viagens espaciais. Nada mais emblemático, pois, em 2019, a agência espacial americana celebra os 50 anos da missão Apollo 11, que levou o homem pela primeira vez à lua. A cidade do Texas possui um dos principais centros espaciais da NASA, responsável pela preparação dos astronautas.

Estudantes representam o Brasil em Campeonato Mundial de Robótica 2

Estudantes da Red Rabbit querem repetir o resultado do ano passado, quando conquistaram o topo do pódio entre 108 equipes

Conheça as equipes brasileiras

Na competição FIRST LEGO League World Festival, que vai reunir 108 equipes com jovens de 9 a 16 anos, a torcida brasileira será para cinco equipes de escolas Serviço Social da Indústria (SESI), três de São Paulo e duas de Santa Catarina: Jedi’s (Jundiaí/SP), Los Atômicos (Araras/SP), Red Rabbit (Americana/SP), Techmaker (Blumenau/SC) e Agrorobots (Concórdia/SC). Já na disputa FIRST Tech Challenge World Championship, para jovens de 15 a 18 anos, a representante brasileira é a Geartech Canaã, da Escola SESI Vila Canaã, em Goiânia. Ela vai competir com outras 127 equipes.

Os seis times garantiram as vagas para a principal competição de robótica do mundo no Festival SESI de Robótica, em março, no Rio de Janeiro. Mais de 1.200 estudantes de 9 a 18 anos, divididos em 117 equipes, competiram em três desafios promovidos pelo SESI no Píer Mauá.

 “Os times brasileiros estão na elite da robótica mundial, conquistando prêmios em praticamente todos os torneios internacionais que participam. Com essa metodologia, estamos gerando novas gerações de engenheiros, cientistas e profissionais do futuro”, Paulo Mól, diretor de operações do SESI Nacional.

Na disputa FIRST Tech Challenge World Championship, para jovens de 15 a 18 anos, a representante brasileira é a Geartech Canaã, da Escola SESI Vila Canaã, em Goiânia

A equipe Red Rabbit vai carimbar o passaporte em Houston pela terceira vez. No ano passado, os jovens de Americana conquistaram o 1º lugar-geral da competição, superando outras 107 equipes no World Festival. Agora, a atual campeã mundial planeja repetir a posição no pódio. “Uma característica do nosso time é sempre tentar inovar em todos os aspectos, e um diferencial desse ano é o nosso robô, em que utilizamos apenas um motor para deslocamento e um sistema pneumático para a realização das nossas curvas”, explica Luigi Kuhnrich, 13 anos, da Red Rabbit.

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes

“O SESI investe em robótica educacional há 13 anos. Desde então, percebemos um salto na formação de nossos alunos, que estão cada vez mais antenados nas novas tecnologias. Os times brasileiros estão na elite da robótica mundial, conquistando prêmios em praticamente todos os torneios internacionais que participam. Com essa metodologia, estamos gerando novas gerações de engenheiros, cientistas e profissionais do futuro”, destaca Paulo Mól, diretor de operações do SESI Nacional.

Robôs de 60 quilos

Neste ano, o Brasil terá, ainda, três equipes na competição FIRST Robotics Competition Championship, para estudantes do ensino médio de 14 a 18 anos. São duas equipes de São Paulo – a Octopus #7567 (Bauru) e Robonáticos #7565  (SP) – e uma do Rio Grande do Sul, a Under Control #1156 (Novo Hamburgo).

Na disputa, que contará com 400 equipes e conta com a tecnologia mais complexa das competições do mundial de Houston, os jovens têm que construir e fazer o design de um robô industrial de cerca de 60 quilos, sendo avaliados por isso, pelo trabalho em equipe e, claro, pelas tarefas desenvolvidas pelo robô na arena, como arremessar ou carregar objetos com precisão e agilidade em um tempo determinado.

A equipe Octopus #7567, de Bauru (SP), vai representar o SESI e o SENAI na categoria FIRST Robotics Competition (FRC).

Conheça o Torneio de Robótica FIRST LEGO League

O Torneio de Robótica FIRST LEGO League é um programa internacional de exploração científica, que promove o ensino de Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática no ambiente escolar e contribui para o desenvolvimento de competências e habilidades comportamentais para a vida. A cada ano o torneio estimula o trabalho colaborativo, a criatividade e traz desafios do mundo real para os alunos, em todo o mundo. Eles são avaliados pelo Projeto de Pesquisa, Design do Robô, Desafio do Robô e o Core Values (Trabalho em equipe).

O tema da temporada 2018/2019, Em Órbita, desafiou os estudantes a pesquisar sobre questões relacionadas a viver e viajar no espaço. Eles tiveram de identificar e propor uma solução inovadora para um problema físico ou social enfrentado durante as viagens de exploração espacial. Na arena, os robôs feitos pelos próprios alunos com peças de LEGO ainda tiveram de cumprir missões como se locomover em áreas com crateras, ajudar um astronauta a voltar em segurança para a base espacial e mover satélites para a órbita.

Publicidade
Curso Design de Cobrancelhas