O Brasil deixou escapar uma vantagem de dois gols, marcados pelas estrelas Marta e Cristiane, contra a Austrália, que acabou vencendo por 3 a 2 nesta quinta-feira, dia 13, em Montpellier, um resultado que deixa muito em aberto o grupo C da Copa do Mundo feminina.

A seleção brasileira parecia ter controlado o jogo com os gols de Marta, de pênalti (27), e Cristiane (38), mas as australianas conseguiram a virada por meio de Caitlin Foord (45+1), Chloe Logarzo (58) e Mônica, que marcou contra (66), após consulta ao VAR.

Com seu gol, Marta atingiu a marca de 16 nas cinco edições da Copa do Mundo que disputou, ampliando sua diferença como maior artilheira histórica.

A partida foi movimentada com os ataques sempre se impondo às defesas.

Com este triunfo a Austrália chega aos mesmos três pontos de Brasil e Itália, seleção que as derrotou (2-1) na estreia e que pode encaminhar a classificação se vencer a Jamaica na sexta-feira.

Marta, 16 gols em Copas

Marta se encarregou de abrir o placar, ao converter de pé esquerdo um pênalti que Elise Kellong-Knight cometeu sobre Debinha. A árbitra suíça Esther Staubli validou sua decisão com o VAR.

A jogadora, eleita seis vezes melhor do mundo, fora da primeira partida porque se recuperava de uma lesão muscular na coxa, esteve longe de seu melhor nível. Cansada, não disputou o segundo tempo.

O Brasil ampliou a vantagem com maestria: a jogada foi iniciada por Tamires que passou a bola entre as pernas da marcadora e deu um passe para Debinha, que cruzou da esquerda para Cristiane cabecear para o fundo da rede.

A atacante chega aos quatro gols marcados na competição, após seu ‘hat trick’ contra a Jamaica (3-0), e está a um da maior artilheira do torneio, Alex Morgan, que marcou impressionantes cinco gols no massacre de 13-0 dos Estados Unidos contra a Tailândia, a maior goleada da história das Copas.

A Austrália melhorou nos últimos minutos da primeira etapa e conseguiu reduzir o prejuízo. Após um chute da estrela Sam Kerr, Caitlin Foord marcou de cabeça aproveitando uma sobra.

Publicidade
CCA idiomas

A partida começou a ter momentos de perigo nos dois lados. O Brasil chegava com qualidade técnica enquanto que a Austrália com raça e força física.

Assim como na primeira partida, em que deu duas assistências a Cristiane, Andressa Alvez brilhou, se alternando com Debinha, que também se destacou.

Austrália vira após saídas de Marta e Formiga

Na segunda etapa o Brasil pagou o preço da ausência de sua jogadora-referência, a veterana Formiga de 41 anos, e da craque Marta. Formiga recebeu um cartão amarelo por uma entrada dura em Tameka Yallop (14), seu segundo no torneio, e por isso vai perder o terceiro jogo da fase de grupos, contra a Itália. o técnico Vadão a substituiu para dar entrada a Luana.

O Brasil voltou a assustar com mais belas jogadas de Cristiane e Debinha, que quase ampliou a vantagem (50).

Aos poucos o a seleção foi diminuindo o ritmo e a recuar, enquanto que a Austrália, desesperada para não perder mais uma partida, redobrou seus esforços à procura do gol.

E o empate veio. Logarzo cruzou da direita e Kerr desviou para dentro do gol.

Com muito suspense veio o terceiro gol australiano, após um lançamento que Mônica desviou e fez contra. A árbitra chegou a marcar impedimento de Kerr. Após consultar o VAR, ela confirmou o gol.

Após muita luta, as australianas cumpriram a missão e agora enfrentam um adversário teoricamente mais fraco, a Jamaica, por uma vaga nas oitavas de final. Já o Brasil vai a Montpellier para encarar a Itália precisando vencer. Antes disso, jamaicanas e italianas se enfrentam nesta sexta-feira, em Reims.

 

(Com informações de AFP)

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes