De descontos a atrações dentro das lojas, vale tudo para manter os clientes. Em meio a um cenário de varejo que muda rapidamente, à medida que as compras on-line amadurecem e os shoppings lutam para se manter relevantes, os lojistas estão buscando maneiras de afastar os compradores dos concorrentes e da atração pela internet.

Mas descobrir o que os consumidores querem, principalmente os compradores mais jovens que cresceram com a Amazon na ponta dos dedos, continua sendo o desafio. As lojas de departamento, em particular, enfrentam a dificuldade de adaptar um formato tradicional à era do comércio eletrônico, moda rápida e descontos em massa.

“As lojas de departamento geralmente ficaram atrasadas e não acompanharam o ritmo do jogo”, entende Jessica Ramirez, analista de varejo de Nova York da Jane Hali and Associates, uma empresa de pesquisa de investimentos de varejo.

A Macy’s começou a testar sua nova abordagem no ano passado, lançando atualizações em 50 lojas em todo o país. O bom desempenho nesses locais levará a rede a avançar com o novo modelo em mais 100 lojas neste ano, inclusive no Towson Town Center e no Mall, em Columbia, Maryland.

As atualizações, baseadas no feedback dos compradores e nos testes do ano passado, incluem nova iluminação e carpetes, banheiros e provadores renovados, mercadorias personalizadas para locais específicos, entre outras medidas.

As mudanças e novas ofertas têm como alvo os consumidores mais jovens, a crescente geração de compradores, em um esforço para se tornar parte de seus hábitos de compra. “Temos uma estratégia na empresa que se concentra em conquistar esses compradores. É a loja de departamentos da sua mãe. Ela adorou; agora você vai adorar também”, define Nequa Goodwin, gerente da Macy’s no Towson Town Center.

Publicidade
Curso de Inglês Marcondes

 

Clientela

 

Os clientes estão percebendo e apreciando as mudanças. Olivia McCarthy, 21 anos, sénior no Loyola College de Maryland, disse que recentemente encontrou novas razões para visitar a Macy’s – a adição da marca boêmia de Free People e uma maneira mais eficiente de receber pedidos on-line.

“Eu estava procurando por uma calça específica que encontrei na Nordstrom, e as encontrei aqui pela metade do preço, então pedi-as on-line para buscá-las na loja”, contou Olivia ao retirar seu pedido na loja.

 

Iniciativas

 

Outras lojas de departamento também estão tentando novas abordagens, atraindo consumidores que demandam conveniência e valor. A Kohl’s começou a aceitar devoluções da Amazon em todas as 1,1 mil lojas em julho, permitindo que os clientes trouxessem itens sem uma caixa ou etiqueta para serem enviados de volta à Amazon gratuitamente.

É a “maior iniciativa do ano” para a cadeia de lojas de departamento de descontos e já está trabalhando para direcionar o tráfego de clientes, segundo os executivos. Embora o varejista não tenha dito quantos clientes que retornam compras na Amazon ficam para fazer compras, os dados de rastreamento de tráfego de pessoas e uso de cartão de crédito parecem mostrar um aumento nos compradores que visitam a Kohl’s.

E a Nordstrom está testando o conceito de pequenas lojas que não vendem mercadorias, mas servem como centros de serviços de bairro. Os três primeiros pontos da Nordstrom Local foram abertos em Los Angeles e mais dois, no Upper East Side da cidade de Nova York e no West Village, inaugurados no mês passado. Os consumidores podem alterar as roupas, devolver ou pegar mercadorias e obter conselhos de moda de estilistas pessoais.

 

(Com informações de Baltimore Sun)

 

 

 

Publicidade
Curso Design de Cobrancelhas